Cerca de 50 torcedores protestaram na manhã desta quarta-feira (5) contra a falta de acesso a mais um treino da Seleção Brasileira, realizado no Centro de Treinamento do Goiás. Este grupo, em sua maioria composto por vizinhos do CT, trouxe câmeras digitais, com a esperança de que ao menos tivesse um contato com os jogadores quando eles descessem do ônibus que os trouxe do hotel, mas o veiculo entrou direto no CT, o que frustrou os torcedores.

"Queria ao menos tirar um foto. Não ter nenhum contato é muito ruim. Eu acho um desrespeito aos goianos", disse Ludmila Oliveira Rocha, funcionária de uma emissora de rádio local. Ela vestia uma camisa da Seleção Brasileira e voltou para casa assim que soube que o treino não seria aberto.

O técnico em contabilidade Rubens Teodoro de Araújo, que vestia a camisa 10 da Seleção, também saiu da porta do CT decepcionado. "Que pelo menos eles olhassem para os nossos olhos. Que o ônibus parasse antes da entrada do CT e eles saíssem andando para que acenassem para nós, cumprimentassem. Há varias crianças aqui. Isso distancia a seleção do povo. Se querem nosso apoio, têm que deixar que exista uma aproximação", declarou o torcedor.

A Seleção Brasileira se prepara em Goiânia para o amistoso diante da França, que será realizado neste domingo, na Arena Grêmio, em Porto Alegre. Depois da partida, a delegação volta para a capital goiana, onde seguirá treinando até a estreia na Copa das Confederações, marcada para o dia 15, em Brasília, contra o Japão.