Foi numa noite de quarta-feira que o Cruzeiro obteve seu último grande título de seu centenário. Um título pra lá de histórico. Predecessor da taça do Mineiro de 2019 (esta, a última conquista dos celestes), a Copa do Brasil de 2018 rendeu a hegemonia do torneio à Raposa: ninguém venceu a competição mais vezes que o clube mineiro.

Se em 2017, os azuis se igualaram ao Grêmio em número de títulos da Copa do Brasil – cinco para cada lado, até então –, no ano seguinte o Cruzeiro subiu mais um degrau, se isolando no topo da hierarquia. Em uma campanha que beirou o impecável naquela ocasião, os comandados de Mano Menezes se consagraram de vez nos 2 a 1 para cima do Corinthians, na finalíssima.

Cruzeiro

Após vencer por 1 a 0 no Mineirão, na ida, os celestes foram para a Arena Corinthians com sangue nos olhos e dispostos a liquidar a fatura. O pesadelo alvinegro começou aos 28 minutos, quando Robinho inaugurou o placar, depois da bola na trave de Barcos.

Na segunda etapa, parecia que a história seria outra, com Jadson empatando, aos 9, de pênalti, e Pedrinho anotando mais um em seguida. Quer dizer, a virada, na verdade, não ocorreu. Em lance revisado pelo VAR, a arbitragem apontou irregularidade no lance do gol de Pedrinho e invalidou o tento.

A partida ficou tensa, até que aos 36, num contra-ataque mortal, Raniel deixou Arrascaeta livre para tocar por cima de Cássio e garantir a taça ao Cruzeiro, o maior campeão da história da Copa do Brasil.

Cruzeiro

A FICHA DO JOGO

CORINTHIANS 1
Cássio; Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Gabriel; Romero, Jadson e Emerson Sheik (Clayson); Jonathas (Pedrinho)
Técnico: Jair Ventura

CRUZEIRO 2
Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Lucas Romero; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, Thiago Neves (Lucas Silva) e Rafinha (Arrascaeta); Barcos (Raniel)
Técnico: Mano Menezes

DATA: 17 de outubro de 2018
ESTÁDIO: Arena Corinthians
CIDADE: São Paulo
MOTIVO: Final da Copa do Brasil de 2018
GOLS: Robinho aos 27 minutos do primeiro tempo, Jadson aos 9 e Arrascaeta aos 36 do segundo tempo
ARBITRAGEM: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ), auxiliado por Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (RJ) e Bruno Boschilia (PR)
VAR: Wilton Pereira Sampaio (GO)
CARTÕES AMARELOS: Ralf, Gabriel, Emerson, Fagner, Jadson e Clayson (Corinthians); Rafinha, Thiago Neves e Robinho (Cruzeiro)
PÚBLICO: 45.978 pagantes
RENDA: R$ 5.108.151,00