Faltavam apenas três rodadas para o término do Campeonato Mineiro de 1967 quando Cruzeiro e Atlético se enfrentaram pelo returno.

O rival tinha um ponto a mais e, aos 15 minutos do segundo tempo, o título nas mãos. Isso porque Lacy decretou o 3 a 0, num jogo em que Tostão já tinha saído machucado e Procópio, expulso.

O Cruzeiro não tinha seu maior craque, estava com um jogador a menos e o Atlético abria três pontos de vantagem na liderança, faltando apenas para quatro para serem disputados, pois naquela época, a vitória valia dois.

Aos 16 minutos da etapa final, Natal diminuiu. Aos 18, marcou mais um e o placar ficou em 3 a 2.

Aos 30, pênalti para o Cruzeiro. Piazza cobrou e decretou o empate. Cinco minutos depois, Zé Carlos, numa cobrança de falta, ainda acertou a trave de Hélio.

Nas duas rodadas finais, o Cruzeiro venceu seus jogos, o Atlético empatou mais um e foi necessária a primeira decisão direta entre eles na Era Mineirão para se conhecer o campeão mineiro de 1967.

Cruzeiro tricampeão mineiro 1965 1966 1967O Cruzeiro ganhou o primeiro tricampeonato mineiro na Era Mineirão, com os títulos de 1965, 1966 e 1967

Em janeiro de 1968, a Raposa atropelou nas duas partidas decisivas, chegando ao tricampeonato em sequência fazendo 3 a 1 no primeiro jogo, e goleando por 3 a 0 no segundo.

A FICHA DO JOGO

CRUZEIRO 3
Raul; Pedro Paulo, Viktor, Procópio e Neco; Piazza, Dirceu Lopes e Tostão (Zé Carlos); Natal, Evaldo e Hilton Oliveira. Técnico: Orlando Fantoni

ATLÉTICO 3
Hélio; Canindé (Dilsinho), Vander, Grapete e Décio Teixeira; Vanderlei Paiva e Amauri Horta; Buião, Ronaldo, Lacy e Tião. Técnico: Fleitas Solich

DATA: 26 de novembro de 1967
LOCAL: Mineirão
MOTIVO: Campeonato Mineiro
GOLS: Lacy, aos 21, e Ronaldo, aos 39 minutos do primeiro tempo; Lacy, aos 15, Natal, aos 16 e 18, e Piazza, aos 30 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Etelvino Rodrigues, auxiliado por Gaze Aluani e Melchizedechi Zanoni, todos de São Paulo
CARTÃO VERMELHO: Procópio (Cruzeiro)
PÚBLICO: 90.838
RENDA: NCr$ 272.761,00