“Obrigado, Diego, por tanta coragem, magia, talento, rebeldia e por levar a todos os argentinos ao (lugar) mais alto do mundo". As palavras de Sorin enfatizam a mais pura verdade e vão além: todo jogador argentino, depois de 1986 (ano do bicampeonato mundial dos hermanos), leva consigo para dentro de campo mais que um pedaço de inspiração ou de gana, leva consigo um ideal, de nunca desistir, de “siempre luchar”. Uma herança de Maradona para a vida toda.

Juan Pablo Sorin levou a sério essa filosofia. O que ficou comprovado pelo estilo guerreiro, de jogar com espírito combativo e “suar sangue”. Não importa se numa partida de Campeonato Mineiro ou de Copa do Mundo, a raça e a vontade de ganhar eram a mesma – no nível mais alto possível. Foi assim na seleção de seu país e em todo clube que defendeu. No Cruzeiro, não seria diferente. E por conta dessa gana, virou ídolo.

Cruzeiro

Foram três passagens pelos celestes, sendo a primeira a mais contundente. De 2000 a 2002, ajudou o time a faturar a Copa do Brasil de 2000 e duas Copas Sul-Minas, em 2001 e 2002. Ou seja, não teve uma temporada em que não tenha comemorado um título pela Raposa durante esses três respectivos anos.

A despedida em 2002 foi digna de um ídolo decisivo: anotou o gol da vitória e do troféu de campeão da Sul-Minas, no 1 a 0 em cima do Athletico-PR, na final, no Mineirão, sendo ovacionado pela China Azul. Depois, retornou à Toca duas vezes, antes de encerrar sua carreira, tendo o Gigante como palco da última festa como atleta. E mesmo ali, no último ato, não deixou de “luchar” como Maradona o ensinou.

Sorin

Sorin e Maradona já estiveram juntos em várias ocasiões, dentro e fora de campo

A FICHA DO CRAQUE
NOME:
Juan Pablo Sorín
NASCIMENTO: 5 de maio de 1976
LOCAL: Buenos Aires (Argentina)
ESTREIA NO CRUZEIRO: 12 de fevereiro de 2000 – Cruzeiro 1 x 1 Juventude – Copa Sul-Minas – Alfredo Jaconi (Caxias do Sul)
PERÍODO NO CRUZEIRO: 2000 a 2002, 2004 e 2009
GOLS: 18
JOGOS: 127
TÍTULOS: Copa do Brasil (2000); Copa Sul-Minas (2001 e 2002); Campeonato Mineiro (2009)
OUTROS CLUBES: Argentinos Juniors (Argentina), River Plate (Argentina), Juventus (Itália), Lazio (Itália), Barcelona (Espanha), Paris Saint-Germain (França) e Villarreal (Espanha)
NA SELEÇÃO ARGENTINA (jogos oficiais)
ESTREIA: 14 de fevereiro de 1995 – Argentina 4 x 1 Bulgária – Amistoso - Mendoza
GOLS: 11
JOGOS: 75