A passagem de Renato Gaúcho pelo Cruzeiro foi meteórica, voraz e vencedora. Em cerca de quatro meses de Toca, o atacante conquistou dois títulos pelo clube, sendo decisivo tanto nas finais da Supercopa Libertadores quanto do Campeonato Mineiro, ambos de 1992, e alcançou a incrível média de um gol por partida. Deixou a Raposa com aquela sensação de “o que teria acontecido se tivesse permanecido por mais tempo?”.

Novembro e dezembro daquele ano reservaram os principais bailes de Gaúcho no Gigante da Pampulha. O primeiro deles, no dia 18 de novembro, na decisão da Supercopa. No embate de ida, os celestes massacraram o Racing, da Argentina, por 4 a 0, com direito a dois gols de Renato.

Na volta, em Avellaneda, os hermanos venceram por 1 a 0, mas quem levou a melhor, no fim das contas, foi o Cruzeiro, bicampeão da competição.

Cruzeiro

Em dezembro, dois novos shows de Renato Portaluppi. No primeiro duelo da final do Mineiro, ele protagonizou mais uma apresentação de gala, ao emplacar um hat-trick para cima do América, no triunfo por 3 a 2, no dia 13.

Para sacramentar o título e selar com maestria sua passagem pela Toca, o avante abriu o placar no jogo da volta e ainda participou do lance que resultou no tento de outro Gaúcho, o colega de setor Roberto, em 20 de dezembro, no Mineirão.

Em 18 partidas realizadas sob o traje celeste, Renato Gaúcho balançou as redes 18 vezes. Média de um gol por confronto, marca de um craque que não brincava em campo. Ou melhor, ‘brincava’ e decidia.

Cruzeiro

A FICHA DO CRAQUE

NOME: Renato Portaluppi
NASCIMENTO: 9 de junho de 1963
LOCAL: Guaporé (RS)
ESTREIA NO CRUZEIRO: 3 de setembro de 1992 – Cruzeiro 2 x 1 Botafogo – Amistoso - Mineirão
PERÍODO NO CRUZEIRO: 1992
GOLS: 18
JOGOS: 18
TÍTULOS: Supercopa (1992); Campeonato Mineiro (1992)
OUTROS CLUBES: Grêmio, Flamengo, Roma (Itália), Botafogo, Atlético, Fluminense e Bangu
NA SELEÇÃO BRASILEIRA (jogos oficiais)
ESTREIA:
1º de setembro de 1983 – Brasil 5 x 0 Equador – Copa América – Serra Dourada (Goiânia)
GOLS: 5
JOGOS: 41