Revetria não precisou mais do que um título mineiro para se tornar um dos grandes jogadores do Cruzeiro. O motivo para tanta idolatria (com razão) foi a final contra um dos maiores times da história do Atlético, o de 1977, vice-campeão brasileiro invicto e que tinha craques como Cerezo e Reinaldo, mas que, no Estadual daquela temporada se rendeu a um outro Rei: ‘Reivetria’.

Após a vitória do Galo no primeiro duelo da decisão do Mineiro, por 1 a 0, Cerezo soltou a clássica frase de que enquanto ele, Reinaldo, Paulo Isidoro e Marcelo Oliveira estivessem no alvinegro, o outro lado da Lagoa jamais seria campeão. Aquilo mexeu com o brio dos celestes e, em especial, do atacante uruguaio, que faria o meio-campista alvinegro ‘queimar’ a língua.

Cruzeiro

No segundo jogo, o Atlético saiu na frente com Marinho. Começava então o show de Revetria. Com um hat-trick, o centroavante garantiu a virada e a vitória sobre o Galo, que ainda descontou com Reinaldo: 3 a 2.

A terceira partida de melhor de três começou da mesma forma que as duas anteriores, com o alvinegro abrindo o placar. Revetria deixou sua marca uma vez. E na prorrogação, o Cruzeiro marcou mais dois, bateu o oponente por 3 a 1 e conquistou o título.

Embora esses embates estejam eternizados como os principais momentos do uruguaio na Raposa, é de se enfatizar que ele marcou mais 18 gols em outros 60 duelos pelo Cruzeiro. Em uma passagem curta, honrou as cores do clube e se tornou ‘cult’, sob a alcunha de algoz do rival.

A FICHA DO CRAQUE

NOME: Hebert Carlos Revetria Acevedo
NASCIMENTO: 27 de agosto de 1955
LOCAL: Montevidéu (Uruguai)
ESTREIA NO CRUZEIRO: 22 de junho de 1977 – Cruzeiro 3 x 0 URT – Campeonato Mineiro – Patos de Minas
PERÍODO NO CRUZEIRO: 1977 e 1978
GOLS: 22
JOGOS: 63
TÍTULO: Campeonato Mineiro (1977)
OUTROS CLUBES: Nacional (Uruguai), Tampico Madero (México), Coyotes Neza (México), Estudiantes Tecos (México), Tolima (Colômbia), Peñarol (Uruguai), Colo-Colo (Chile), Cobreloa (Chile) e River Plate (Uruguai)
NA SELEÇÃO URUGUAIA (jogos oficiais)
ESTREIA: 1º de outubro de 1975 – Copa América – Estádio Centenário (Montevidéu)
GOL: 0
JOGOS: 2