Maior palco do futebol mineiro e aliado cruzeirense na mudança de história do clube a partir da sua inauguração, o Mineirão recebeu o primeiro clássico entre Atlético e Cruzeiro em 24 de outubro de 1965, quase 50 dias após ser inaugurado com a vitória de 1 a 0 da Seleção Mineira sobre o River Plate, da Argentina.

O confronto era válido pelo Campeonato Mineiro de 1965, disputado no sistema de pontos corridos, e que teve a Raposa, que foi campeã, brigando pela taça com o América, pois o Atlético ficou na quarta posição, atrás também do Siderúrgica, de Sabará.

A diferença técnica entre os dois times era grande e já estava clara nos últimos confrontos no Independência. Tostão fez 1 a 0 no primeiro tempo.

Na etapa final, quando o árbitro argentino Juan de la Passion Artez marcou um pênalti de Décio Teixeira sobre Wilson Almeida, aos 34 minutos, os jogadores do Atlético não aceitaram a marcação, apesar de a falta ter sido clara.

Alguns alvinegros agrediram o árbitro, aconteceu confronto com a Polícia Militar e o jogo foi encerrado, com nove jogadores atleticanos sendo expulsos, além do técnico Marão e do diretor Marcelo Guzela.

A FICHA DO JOGO

CRUZEIRO 1
Tonho; Pedro Paulo, William, Vavá e Neco; Hilton Chaves e Dirceu Lopes; Wilson Almeida, Tostão, Marco Antônio e Hilton Oliveira. Técnico: Airton Moreira

ATLÉTICO 0
Luiz Perez; João Batista, Vânder, Bueno e Décio  Teixeira; Buglê e Viladônega; Buião, Toninho, Roberto Mauro e Noêmio. Técnico: Marão

DATA: 24 de outubro de 1965
LOCAL: Mineirão
MOTIVO: Campeonato Mineiro
GOL: Tostão, aos 35 minutos do primeiro tempo
ARBITRAGEM: Juan de la Passion Artez (Argentina), auxiliado por José Gomes e Witan Marinho
CARTÃO VERMELHO: Luiz Perez, João Batista, Vânder, Bueno, Décio Teixeira, Buglê, Viladônega, Roberto Mauro e Noêmio (Atlético)
PÚBLICO: 47.530
RENDA: Cz$ 46.884.000,00