O Atlético, que seria campeão brasileiro naquela temporada, estava de fora da briga pelo título do Campeonato Mineiro de 1971 na última rodada da competição que ele tinha conquistado pela primeira vez, na Era Mineirão, na temporada anterior, sob o comando de Telê Santana, que seguia no clube. Mesmo assim, os alvinegros tinham papel importante na briga pela taça, que era disputada pelo América com o rival Cruzeiro.

Em 26 de junho de 1971, o Coelho recebeu o Uberlândia, no Mineirão, venceu por 3 a 2, e chegou aos 38 pontos dois a mais que a Raposa, que no dia seguinte fazia o clássico contra o Galo.

Para a taça ser americana, seria necessário pelo menos um empate cruzeirense no confronto do dia 27 de junho de 1971, no Mineirão.

O domingo começou com a notícia de que o América tinha oferecido a chamada “mala branca” aos jogadores e comissão técnica do Atlético para que eles pelo menos empatassem a clássico.

Fizeram mais do que isso. Venceram por 1 a 0, com um gol de Tião logo aos 22 minutos, e garantiram a taça americana, que teve grande colaboração atleticana, pois o time comandado por Telê Santana já tinha vencido o clássico do turno, também por 1 a 0, mas com gol de Vaguinho.

A FICHA DO JOGO

ATLÉTICO 1
Renato; Zé Maria, Normandes, Vantuir e Oldair; Vanderlei Paiva e Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Laci (Lola) e Tião. Técnico: Telê Santana

CRUZEIRO 0
Raul; Pedro Paulo, Fontana, Perfumo e Neco; Piazza (João Ribeiro) e Zé Carlos; Roberto Batata, Dirceu Lopes, Tostão e Lima (Eduardo). Técnico: Orlando Fantoni

DATA: 27 de junho de 1971
LOCAL: Mineirão
MOTIVO: Campeonato Mineiro
GOL: Tião, aos 22 minutos do primeiro tempo
ARBITRAGEM: Sílvio Gonçalves, auxiliado por Paulo Sanches e Válter Leite
PÚBLICO: 67.738
RENDA: Cz$ 299.847