Seis meses após perder o Campeonato Mineiro de 1976, numa decisão que invadiu a temporada seguinte, o Cruzeiro deu o troco no Atlético, naquela que foi a última conquista de uma das maiores eras da história do clube, iniciada em 1965 com a inauguração do Mineirão e encerrada com a taça de 1977.

Em 12 edições do Estadual no Gigante da Pampulha, eram nove os títulos cruzeirenses, mas a última taça tinha ficado com o rival, que apresentava um time jovem.
E o Atlético pagou pela juventude. Após a vitória no primeiro jogo da final, Toninho Cerezo disse que enquanto ele, Reinaldo e companhia estivessem no clube, o Cruzeiro não ganharia mais nada.

Nelinho Cruzeiro 1977

O último título conquistado pelo grande Cruzeiro dos anos 1970 foi o Campeonato Mineiro de 1977, garantido numa decisão direta contra o Atlético

No jogo seguinte, a Raposa fez 3 a 2, com um hat-trick do uruguaio Revetria. Mais uma semana, e o carrasco alvinegro deixou sua marca novamente no 1 a 1. O jogo foi para a prorrogação, e o Cruzeiro venceu por 2 a 0, placar final de 3 a 1.

A taça era azul. A previsão de Cerezo não se concretizava. O Cruzeiro era decacampeão do Mineirão em 13 anos.

A FICHA DO JOGO

CRUZEIRO 3
Raul; Nelinho, Zezinho Figueroa, Darci Menezes e Vanderlei; Flamarion e Valdo (Eli Carlos); Eduardo, Erivelto, Revetria (Lívio) e Joãozinho. Técnico: Yustrich

ATLÉTICO 1
Ortiz; Alves, Márcio, Vantuir e Dionísio; Toninho Cerezo e Danival (Heleno); Marinho, Reinaldo, Paulo Isidoro (Marcinho) e Marcelo. Técnico: Barbatana

DATA: 9 de outubro de 1977
LOCAL: Mineirão
MOTIVO: Terceiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro de 1977
GOLS: Reinaldo, aos 35 minutos do primeiro tempo; Revetria, aos 25 minutos do segundo tempo; Lívio, aos 7, e Joãozinho, aos 14 minutos do segundo tempo da prorrogação
ARBITRAGEM: Márcio Salles (SP), auxiliado por José Felipe e Raimundo Divino
CARTÃO VERMELHO: Lívio (Cruzeiro)
CARTÃO AMARELO: Joãozinho (Cruzeiro)
PÚBLICO: 122.534
RENDA: R$ 4.194.550,00