Menos de três meses antes, Cruzeiro e Internacional tinham decidido o Campeonato Brasileiro de 1975, no Beira-Rio, em Porto Alegre, e, num jogo equilibrado, o Colorado ficou com a taça vencendo por 1 a 0, com um gol de cabeça do zagueiro Figueroa aos 10 minutos do segundo tempo, num dia em que Manga fechou o gol.

Em 7 de março de 1976, eles se enfrentaram, no Mineirão, pela primeira rodada do Grupo 3, numa época em que apenas o ganhador de cada chave da fase de grupos seguia na competição, que já tinha as semifinais como segunda etapa.

E cruzeirenses e colorados fizeram aquele que é considerado o melhor jogo da história do Gigante da Pampulha, num confronto recheado de emoção e até drama pelo lado azul, pois Palhinha foi expulso logo aos 12 minutos do segundo tempo por agredir Figueroa, revidando uma agressão que tinha recebido do chileno na final do Brasileirão, no Beira-Rio.

Cruzeiro

Acaba que a expulsão de Palhinha deu uma equilibrada nas coisas, pois Joãozinho jogou por dois naquele dia, numa das maiores exibições de um jogador no Mineirão em 55 anos de história do estádio.

O ponta esquerda marcou dois gols, deu a assistência para Palhinha marcar um e sofreu, aos 39 minutos do segundo tempo, o pênalti que Nelinho cobrou com raiva, aos 40, decretando os 5 a 4. Era a arrancada do esquadrão cruzeirense para conquistar a América.

A FICHA DO JOGO

CRUZEIRO 5 X 4 INTERNACIONAL

CRUZEIRO
Raul; Nelinho, Morais, Darci Menezes e Vanderlei; Zé Carlos e Eduardo; Roberto Batata (Isidoro), Jairizinho, Palhinha e Joãozinho. Técnico: Zezé Moreira

INTERNACIONAL
Manga; Cláudio (Valdir), Figueroa, Hermínio e Vacaria; Caçapava e Falcão; Valdomiro, Escurinho, Flávio (Ramon) e Lula. Técnico: Rubens Minelli

DATA: 7 de março de 1976
ESTÁDIO: Mineirão
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: Copa Libertadores
GOLS: Palhinha, aos 3 e 10, Lula, aos 14, Joãozinho, aos 21, e Valdomiro, aos 39 minutos do primeiro tempo; Zé Carlos (contra), aos 6, Joãozinho, aos 18, Ramon, aos 25, e Nelinho, aos 40 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Luis Pestarino (Argentina), auxiliado por Ramón Barreto (Uruguai) e Juan Silvagno (Chile)
CARTÃO VERMELHO: Palhinha (Cruzeiro)
CARTÕES AMARELOS: Palhinha e Zé Carlos (Cruzeiro); Figueroa, Vacaria e Hermínio (Internacional)
PÚBLICO: 65.463
RENDA: Cr$ 793.407,00