Foram 13 jogos e 13 vitórias, com impressionantes 83 gols marcados, média de 6,38 por partida, e 12 sofridos, média de 0,92. Esta foi a campanha do Palestra Itália (Cruzeiro) no bicampeonato da Cidade (Mineiro) em 1929, competição conquistada de forma antecipada e especial.

Em 17 de novembro de 1929, o Palestra recebeu o Atlético, no Estádio do Barro Preto, na sua penúltima partida pela competição.

A goleada de 5 a 2 garantiu o bicampeonato de forma antecipada. E a 12ª vitória do time comandado por Matturio Fabbi, primeiro grande treinador da história palestrina.

A goleada sobre os atleticanos teve grande atuação dos dois principais nomes daquele grande Palestra do final da década de 1920.

Ninão que foi o artilheiro daquele Campeonato da Cidade, com 33 gols, dez a menos que sua marca de 1928, balançou a rede atleticana duas vezes.
Bengala também marcou duas vezes. O quinto gol palestrino foi contra, marcado pelo zagueiro Binga.

Na última partida, diante do Sete de Setembro, uma semana depois do clássico, em 24 de novembro de 1929, o Palestra Itália recebeu o Sete de Setembro no Barro Preto.

Palestra Itália 1929O time tricampeão em 1928, 1929 e 1930 foi o primeiro esquadrão da história cruzeirense

E garantiu os 100% de aproveitamento com outra goleada, por 5 a 0, com quatro gols do artilheiro Ninão e um de Carazo. Com menos de uma década de existência, o clube já fazia história.

A FICHA DO JOGO

PALESTRA 5
Armando; Nereu e Rizzo; Bento, Pires e Nininho; Piorra, Ninão, Carazzo, Bengala e Armandinho. Técnico: Matturio Fabbi

ATLÉTICO 2
Osvaldo; Binga e Evando; Cordeiro, Brant e Ivo Melo; Dalmy, Orlando Vaz, Mário de Castro, Jairo e Cunha. Técnico: Marinetti

DATA: 17 de novembro de 1929
ESTÁDIO: Barro Preto
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: Campeonato da Cidade (Mineiro)
GOLS: Armandinho, aos 3, Ninão, aos 8, Orlando Vaz, aos 20, e Ninão, aos 36 minutos do primeiro tempo; Jairo, aos 10, Begala, aos 12, e Binga (contra) aos 22 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: João Aguiar
PÚBLICO: 10.000