As taças pela primeira conquista nacional e internacional do Cruzeiro foram erguidas por ele. Só isso coloca Wilson Piazza, o capitão que levantou a Taça Brasil de 1966, e a Copa Libertadores de 1976, na história do clube. Mas nas 13 temporadas em que vestiu a camisa celeste, ele fez muito mais.

Revelação do Renascença, clube do bairro de mesmo nome em Belo Horizonte, ele chegou ao Cruzeiro para ser reserva de Hilton Chaves, campeão brasileiro de seleções por Minas Gerais no ano anterior.

Em pouco tempo, já era dono da posição de volante e começava a história do maior meio-de-campo da história do futebol mineiro, formado por Piazza, Dirceu Lopes e Tostão.

Depois, o trio virou um quadrado, e ficou ainda mais eficiente com a entrada de Zé Carlos e o deslocamento de Tostão para jogar como centroavante.

A maior superação da história do clássico, o empate por 3 a 3 buscado pelo Cruzeiro diante do Atlético, no Campeonato Mineiro de 1967, após estar perdendo por 3 a 0 e com Procópio expulso aos 15 minutos de jogo, tem a marca de Piazza.

Ele arrumou o time em campo, recuando para jogar como zagueiro e instruindo os companheiros. Além disso, foi dele, de pênalti, aos 30 minutos do segundo tempo, o gol de empate.

piazzaPiazza e a Copa Libertadores de 1976, conquistada sobre o poderoso River Plate, da Argentina

Fez história também na Seleção Brasileira. Improvisado na zaga, foi tricampeão do mundo em 1970, no México. Jogou ainda a Copa de 1974, na Alemanha.

Piazza conquistou os dez primeiros títulos estaduais do Cruzeiro na Era Mineirão, isso em 13 anos.

A FICHA DO CRAQUE

NOME: Wilson da Silva Piazza
NASCIMENTO: 25 DE fevereiro DE 1943
LOCAL: Ribeirão das Neves (MG)
ESTREIA NO CRUZEIRO: 9 de março DE 1964 – Cruzeiro 3 X 1 Seleção de Barbacena – Amistoso – Barbacena
PERÍODO NO CRUZEIRO: 1965 A 1977
GOLS: 40
JOGOS: 556
TÍTULOS: Campeonato Mineiro (1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1977); Taça Brasil (1966); Copa Libertadores (1976)
OUTRO CLUBE: Renascença
NA SELEÇÃO BRASILEIRA (jogos oficiais)
ESTREIA: 25 de junho de 1967 – Brasil 0 x 0 Uruguai – Copa Rio Branco – Montevidéu
GOL: 0
JOGOS: 51