Por meio de uma mensagem publicada no site oficial de Michael Schumacher, a família do ex-piloto voltou a agradecer, nesta quarta-feira, o apoio que vem recebendo e a "energia positiva" dos fãs durante este longo período de recuperação do alemão. A manifestação dos familiares ocorreu dois duas depois dele ter recebido alta do hospital em que estava internado em Grenoble, na França, desde o dia 29 de dezembro do ano passado, quando sofreu grave acidente enquanto esquiava nos Alpes franceses.

O heptacampeão mundial de Fórmula 1 foi tirado do estado de coma induzido em que se encontrava, mas na segunda-feira mesmo já foi transferido para outro hospital, da Universidade de Lausanne, na Suíça, para dar continuidade ao seu longo tratamento.

Embora o real estado neurológico de Schumacher ainda seja um mistério, tendo em vista o fato de que a sua família optou por adotar uma política de extrema privacidade neste período de recuperação, o ícone do automobilismo mundial parece apresentar novas reações aos estímulos que vem recebendo após ter batido forte com a cabeça no acidente no qual sofreu lesões cerebrais.

E a evolução neste processo de recuperação motivou a família de Schumacher a se pronunciar oficialmente após longo período de silêncio. "Obrigado a todos vocês! Gostaríamos de agradecer a todas as pessoas que querem bem o Michael por sua energia positiva. Temos certeza de que ela já o ajudou", escreveu a família por meio de curta mensagem publicada no site oficial do ex-piloto de 45 anos de idade.

Na última segunda-feira, também por meio de um comunicado oficial, a representante de Schumacher, Sabine Kehm, confirmou que Schumacher deixou o hospital em que estava internado há quase seis meses em Grenoble e pediu compreensão aos fãs ao dizer que "sua posterior reabilitação acontecerá distante dos olhos do público". Ela não forneceu informações sobre o estado de saúde do alemão.

Internado no dia 29 de dezembro com graves lesões na cabeça poucas horas depois do acidente que sofreu na estação de esqui de Meribel, onde o capacete que usava chegou a rachar por causa do forte impacto que teve com uma rocha no momento da queda, Schumacher chegou a ser operado para eliminação de coágulos de sangue, mas alguns deles estavam muito profundos. Com o ex-piloto em estado grave, os médicos optaram por colocá-lo em coma induzido, para que seu cérebro pudesse repousar e que a inflamação e inchaço no local fossem reduzidas.