Começa nesta terça-feira (17) a fase de grupos da Copa Libertadores, principal competição interclubes das Américas. Assim como no ano passado, as duas maiores equipes de Minas Gerais entram na briga com boas perspectivas na busca pela taça, que elevaria para quatro o número total de troféus nas galerias do Estado.

Apontados entre os grandes favoritos ao título continental, o Cruzeiro tem duas conquistas e o Atlético uma, a mais recente, comandada por Ronaldinho e companhia em 2013.

No entanto, por mais históricos que sejam os títulos mineiros, é no estado de São Paulo que está o maior número de troféus e também os principais vencedores individuais do torneio em território tupiniquim. Os times de Minas brigam, então, para chegar à segunda colocação do ranking nacional, hoje ocupada pelos gaúchos.

O Cruzeiro conquistou as duas últimas edições do Brasileirão, mas mudou bastante a equipe após a perda dos principais jogadores. Porém, investiu pesado nas reposições e terá prazo maior de preparação até a estreia na competição, no próximo dia 25.

“Tenho uma expectativa muito boa do Cruzeiro na Libertadores. O time vai entrar forte como sempre. Mas não dá para entrar só com a tradição e o peso da camisa. Evidentemente, vieram outros jogadores no lugar dos que saíram. É um grupo novo, mas precisamos formar um time, que precisa ter uma engrenagem. Para isso, há de se ter tranquilidade e paciência”, destaca o técnico cruzeirense Marcelo Oliveira.

Já o Atlético manteve a base de 2014 e vem embalado pela conquista da Copa do Brasil e também pelo início animador no Campeonato Mineiro.

“Teremos uma Libertadores muito disputada neste ano, com times de tradição. Vai ser mais difícil, mas a equipe está calejada, é a nossa terceira disputa seguida. Eu, particularmente, gosto muito de jogar esse torneio, apesar de não ter participado de muitos. Caiu no meu gosto”, declara o volante alvinegro Leandro Donizete.

Contudo, ambos os times tiveram participação decepcionante na edição do ano passado, com o Galo saindo nas oitavas de final e a Raposa avançando apenas uma fase além.

Em 2014, o San Lorenzo faturou o inédito caneco, o 31º da Argentina, principal “papa-títulos” das Américas – os hermanos são os maiores campeões, à frente dos brasileiros.

Favoritos, mineiros tentam igualar aproveitamento dos gaúchos na Libertadores
1997 - Segundo título continental do Cruzeiro veio com vitória sobre o Sporting Cristal

Memória

A história das conquistas mineiras remonta ao ano de 1976, quando o Cruzeiro bateu o River Plate, da Argentina, e levantou o troféu pela primeira vez. A segunda conquista mineira também veio com a Raposa, que venceu a edição de 1997 contra o surpreendente Sporting Cristal, do Peru. O terceiro triunfo veio com o Atlético em 2013, de forma heróica, com a conquista épica sobre o Olímpia, do Paraguai. 

Favoritos, mineiros tentam igualar aproveitamento dos gaúchos na Libertadores