O suíço Roger Federer pode estar fazendo em 2013 uma de suas piores temporadas na carreira, mas ainda assim segue dando mostras do porquê é considerado um dos melhores tenistas da história. Neste sábado, o número 7 do ranking mundial superou um difícil duelo com o argentino Juan Martín del Potro, venceu por 2 sets a 1, de virada, com parciais de 4/6, 7/6 (7/2) e 7/5, e chegou à semifinal do ATP Finals, em Londres.

Esta será a 11.ª semifinal de Federer nos 12 ATP Finals que disputou. Agora ele terá pela frente o número 1 do mundo Rafael Nadal, neste domingo, na partida que vale uma vaga na grande decisão. Será o 32.º duelo entre eles, com ampla vantagem para o espanhol, que venceu 21 vezes.

Federer termina a primeira fase da competição como segundo colocado do Grupo B, atrás apenas de Novak Djokovic, que fará a última partida da chave ainda neste sábado contra Richard Gasquet. O suíço chegou à segunda vitória, depois de ter vencido Gasquet e ter perdido justamente para Djokovic.

A vitória deste sábado foi muito suada. Federer começou muito mal e foi quebrado duas vezes logo de cara no primeiro set. O suíço, então, reagiu, devolveu uma das quebras e chegou a ter um break point no nono game para empatar a partida, mas Del Potro se recuperou e fechou.

O segundo set parecia começar igual, com Del Potro conseguindo uma quebra no terceiro game, mas Federer devolveu e mostrou mais tranquilidade no tie-break para fechar. Na parcial de desempate, cenário semelhante: o argentino largou na frente, mas o suíço voltou a empatar. Quando um novo tie-break parecia certo, Federer quebrou o adversário e fechou.