Mesmo com a vitória por 1 a 0 sobre o Sampaio Corrêa, no Castelão, nessa sexta-feira (8), o técnico Felipão subiu o tom contra a arbitragem comandada por Paulo Henrique de Melo Salmazio, no duelo em São Luís.

O experiente comandante da Raposa contestou as expulsões de William Pottker, que recebeu dois cartões amarelos em dois minutos, no início do segundo tempo, sendo o último por reclamação, e também de Giovanni, este já no banco de reservas, pelo mesmo motivo.

Além dos lances em questão, Luiz Felipe Scolari revelou que o clube estrelado vai se manifestar junto à Comissão de Arbitragem da CBF, comandada por Leonardo Gaciba, após o encerramento do Brasileiro.

'Preocupa, sim, a expulsão dos dois. Preocupa a forma como estão sendo colocados árbitros nesta Série B. Não sei se o Gaciba está a par de muita coisa, ou se são experimentos da CBF. Não sei. Esperar pra ver definição no final do campeonato. Provavelmente eu também vá me posicionar com algumas considerações sobre arbitragem e situações que o Cruzeiro pode e deve agir, senão terá sempre mais dificuldades que outras equipes. Acho que o árbitro estava um pouco inseguro no lance, por exemplo, da expulsão do Pottker. O Pottker fala com ele que ele não apita corretamente, porque ele não tem qualidade pra apitar corretamente, aí o árbitro expulsa, como se fosse uma coisa normal a expulsão", completou Scolari, em entrevista coletiva.

O treinador também questionou a expulsão de Giovanni, que, assim como Pottker, vai desfalcar o time celeste no duelo com o Oeste, na próxima quarta, às 21h30, no Independência, pela 34ª rodada da competição. 

"(O Giovanni) foi expulso pelo quarto árbitro, que em qualquer lugar do Brasil quarto árbitro é local, e é a primeira vez que nós vimos quarto árbitro expulsar diretamente um jogador. Fazer o quê?! Quem sabe ele tenha cometido um erro com o quarto árbitro, que é inacreditável. Nós não ouvimos nada, mas tudo bem', disse Felipão se referindo Paulo José Souza Mourão, que trabalhou como quarto árbitro no confronto no Castelão.

Quase lá

Com o triunfo na capital maranhense, o Cruzeiro chegou aos 44 pontos, subiu para a 11ª posição na classificação e reduziu ainda mais as chances de rebaixamento.

Perguntando se já considera a Raposa livre da qualquer risco de queda à Série C - o que Scolari colocou como principal objetivo desde retornou ao time celeste, em outubro - o treinador pregou cautela, mas deixou claro que a meta está próxima.

"Acredito que livre totalmente não, porque ainda temos cinco rodadas, mas, possivelmente, com os três pontos, a gente tenha ficado aí 95%, 98% tranquilo pra seguirmos na Série B. A preparação pra temporada vamos fazer à medida que tivermos a tranquilidade necessária pra jogarmos os jogos seguintes".

No momento, o Cruzeiro está oito pontos à frente do Figueirense, 17º colocado  e primeiro time dentro do Z-4, e com a mesma distância atrás do CSA, que atualmente fecha o G-4.