Chegou ao fim a invencibilidade de Felipão em seu retorno ao Cruzeiro. Na noite desta sexta-feira (27), a Raposa perdeu por 2 a 1 para o Confiança-SE, e encerrou uma sequencia de nove jogos sem derrotas, sendo sete com o experiente treinador.

O revés no Mineirão, que valeu pela 24ª rodada da Série B foi o primeiro de Luiz Felipe Scolari, que vinha de quatro vitórias e três derrotas.

Após o confronto, Scolari lamentou o gol sofrido pela Raposa no início do primeiro tempo, assim como tinha ocorrido nos empates com o Guarani e com o Figueirense, também no Gigante da Pampulha.

"Nós sabemos que temos algumas dificuldades da equipe, principalmente no aspecto psicológico, no aspecto de jogar aqui, de propormos o jogo. Mas esses gols aos quatro minutos, fazem com que a nossa equipe desarvore. Nós sabemos disso, vamos trabalhar em cima do projeto que temos, da situação atua, para melhorarmos principalmente quando jogamos aqui, porque fora temos um posicionamento melhor, e esperar que as coisas corram bem até o final para atingirmos o objetivo (se livrar do rebaixamento)", disse Scolari, em entrevista coletiva.  

No duelo com o time sergipano, a Raposa sofreu um gol de Guilherme Castilho, em cobrança de escanteio, logo aos quatro minutos.

Contra o Guarani, o time celeste teve as redes balançadas aos 15 minutos, e contra o Figueirense, aos 11 minutos da primeira etapa.

No confronto com o Dragão, o Cruzeiro poderia ter tido um resultado melhor, caso tivesse aproveitado melhor as chances que criou, conforme analisou Felipão.

"Nós criamos quatro oportunidades muito boas para fazer o gol, empatar, e até depois, se tu empata, tem a possibilidade de crescimento psicológico e tudo mais. Mas não conseguimos e demos a oportunidade de o Confiança trabalhar a bola tranquilamente, fazer o uso do resultado. Perdemos e agora vamos ter que organizar novamente a equipe para o jogo contra o América".

Giovanni Piccolomo

Outro assunto comentado pelo técnico da Raposa na coletiva foi a falta de oportunidades ao meia-atacante Giovanni Piccolomo.

O jogador chegou à Toca da Raposa II em setembro, vindo do Coritiba, mas só pôde ser inscrito no final de outubro, após a Raposa se livrar uma punição da Fifa, que o impedia de registrar novos atletas.

O meia-atacante Matheus Índio e o atacante Iván Angulo estavam na mesma situação, mas Felipão deu o aval apenas para a contratação de Piccolomo. 

Mesmo com dificuldades do time celeste na armação das jogadas, Scolari ainda não utilizou Giovanni.

Para explicar a ausência do meia-atacante de 26 anos, que esteve no banco de reservas nos últimos jogos, o experiente comandante citou a parte física de Piccolomo.

"Quando eu cheguei, ele tinha seis, sete quilos acima do peso. Quando ele chegou, tinha um percentual de gordura muito grande e ai foi perdendo. Além de perder peso, perdeu sua condição física,e foi readquirindo. Nesses últimos 15 dias é que ele está em condições para que a gente possa o colocar. Mas eu tenho outros jogadores que vêm treinando, jogando com qualidade, e pra ele, é uma oportunidade que quem sabe vai aparecer mais tarde".  

Giovanni Piccolomo meia-atacante do Cruzeiro

Contratado em setembro e inscrito em outubro, Giovanni Piccolomo ainda nao estreou pelo Cruzeiro