O técnico Mozart já adiantou que vai continuar a utilizar o atacante Felipe Augusto na função de ala-esquerdo no Cruzeiro. Uma situação vista com bons olhos pelo jogador e que, na avaliação do próprio atacante, não é muito diferente de sua posição de origem.

"Uma função que faço no lado do campo onde consigo me adaptar rapidamente, onde conheço. Não muda tanto assim. Só preciso de um pouco mais de comprometimento e dedicação na parte defensiva. Mas na hora de atacar, tenho a mesma liberdade de quando atuo como ponta”, destacou.

Felipe Augusto começou a desempenhar esse novo papel logo na estreia de Mozart. "Contra o Goiás, ele já confiou em mim, me colocando no início do segundo tempo. Pude até ajudar no início da jogada do gol de empate (1 a 1). Sempre que chega uma comissão nova e um treinador novo, tem que se mostrar serviço para ganhar a confiança deles. Estou tentando aproveitar ao máximo as oportunidades para ganhar a confiança de todos e desempenhar um bom futebol", disse o atleta.

E além da disciplina tática, outro fator vem sendo fundamental para o ala/atacante - que marcou o gol do Cruzeiro na derrota de 2 a 1 para o Operário - continuar entre os 11 principais.

"Série B é disputa e dedicação. Vamos enfrentar várias equipes que também vão dar a vida dentro de campo. Logicamente não pode faltar qualidade técnica, mas em vários jogos o que pode predominar é a briga pela vitória. Temos feito boas partidas desde que o professor chegou. (...) Se a gente continuar com o mesmo ritmo e a mesma pegada, dificilmente o resultado positivo não virá", declarou.

O próximo desafio será nesta quinta-feira (24), às 21h30, contra o Vasco, no Mineirão, pela sexta rodada da Série B.

Cruzeiro

Felipe Augusto marcou o gol do Cruzeiro na derrota para o Operário, por 2 a 1