A principal missão do técnico Felipe Conceição nesse início de trabalho à frente do Cruzeiro é definir o elenco para a próxima temporada.

Além de ir ao mercado em busca de reforços, o novo comandante da Raposa terá que definir o futuro de alguns jogadores que tem a permanência incerta para os próximos campeonatos.

É o caso de um trio de jogadores experientes que, além de terem altos salários, tiveram um desempenho discreto nos últimos meses.

Com uma trajetória marcada por títulos com a camisa estrelada, Léo, Henrique e Marcelo Moreno não tiveram a continuidade assegurada por Conceição.

Durante a sua apresentação, nessa quarta-feira (3), na Toca da Raposa II, o treinador foi perguntado sobre a situação dos experientes jogadores e preferiu não adiantar uma decisão.  

“Todos os atletas que têm contrato com o Cruzeiro serão analisados, junto com o André, com o presidente e com a comissão permanente do clube. Buscaremos informações, como já estamos buscando, para a gente acertar o máximo possível a permanência de quem nos interessa e a dispensa de quem não nos interessa. É uma análise geral, não é de três ou quatro atletas, e vamos buscar sempre o melhor para o Cruzeiro”, disse Conceição.

Léo

Aos 33 anos, Léo tem contrato com o Cruzeiro até 2022. Com os vencimentos acima do teto de R$150 mil, estipulado pela diretoria, o defensor aceitou a repactuação contratual, em que passaria a receber o restante do salário a partir deste ano.

Com a permanência da Raposa na Série B, e consequente perde de receitas, o zagueiro, assim como outros na mesma situação, terão que novamente negociar com a cúpula celeste.

Com 401 jogos pelo time estrelado, Léo não atua desde o dia 19 de setembro do ano passado, em razão de um edema ósseo no joelho direito.

Na última temporada, atuou em 21 jogos, sendo titular em todos eles, até se lesionar, após a 10ª rodada da Série B.

A permanência do defensor na Toca da Raposa II também depende de outras definições na zaga, como a continuidade de Manoel e Cacá. O último, inclusive, tem negociação com o time do futebol japonês.

Henrique

Com vínculo com a Raposa até o final de 2021, Henrique é outro que ainda não sabe se vai permanecer no clube.

Após passar o primeiro semestre emprestado Fluminense, o volante voltou ao Cruzeiro para disputa do Brasileiro.

Com atuações contestadas por parte da torcida, o meio-campo atuou em oito jogos em seu retorno ao Cruzeiro, sendo sete como titular.

A última partida de Henrique foi no dia 10 de outubro. Desde então, se recupera de uma lesão no menisco do joelho direito.

Assim como Léo, o meio-campista também recebe vencimentos acima do teto, e deverá renegociar os débitos com a diretoria.

Aos 35 anos, o volante soma 524 jogos pela Raposa.

Marcelo Moreno

Principal contratação do Cruzeiro no primeiro semestre do ano passado, Marcelo Moreno não conseguiu repetir o sucesso das duas passagens anteriores.

Em 32 jogos na temporada, Moreno marcou apenas três gols, e passou a reta final da Série B como opção no banco de reservas.

Em relação a parte financeira, o boliviano tem parte dos salários pago por um parceiro do clube estrelado. Mesmo recebendo valores dentro do limite estipulado pela diretoria, o salário do jogador é considerado alto para a atual realidade econômica da instituição.

Com contrato até dezembro de 2022, o centroavante de 33 anos acumula 125 jogos e 48 gols pela Raposa.