Ao fim do triunfo da Caldense sobre o Cruzeiro, nessa quarta-feira (3), o técnico Felipe Conceição admitiu que o time celeste “não fez um bom jogo” e teve “dificuldade na parte ofensiva e também na defensiva”. Ele, que esperava ver a equipe dando um salto de qualidade, acredita, no entanto, que não será uma derrota que vai abalar o trabalho desempenhado até agora.

“Abatimento, não. Estamos construindo coisas sólidas e positivas. Não é uma derrota que faz jogar tudo fora e pensar em abatimento. Foi ruim, sim, a partida. Mas temos que nos unir e continuar no crescimento. Não é uma derrota que vai mudar esse caminho”, afirmou.

O comandante da Raposa explica o porquê de o time ainda estar encontrando dificuldade em sua proposta de jogo.

“A gente atua com uma linha alta, algo diferente a uma equipe acostumada a jogar em bloco baixo. Enfrentamos uma equipe (Caldense) que está à frente da nossa em termos de preparação. Estavam sempre um passo à frente, com marcação antes. Mas é natural neste início de processo. Com o tempo não teremos mais esse problema, e a equipe terá compactação na parte defensiva e uma fluidez maior no ataque”, disse o treinador.

E ressaltou que o Cruzeiro vai tirar muitas lições desse revés para os próximos desafios. No sábado (6), às 21h, a equipe encara a URT, no Zama Maciel, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro.

“O segredo é o trabalho, continuar crescendo, com uma filosofia nova. Gera dúvidas, e é normal, pelo tempo que tivemos e pela diferença da filosofia do ano passado. Só o tempo nos dará consistência. E dentro dessa caminhada, vamos trabalhar muito para otimizar esse tempo, recuperar o padrão da equipe e evitar os erros”, comentou.

Cruzeiro