O jogador Felipe Melo causou espanto com uma declaração concedida ao canal italiano “Sky Sports”. Conhecido pela postura forte e, até, violenta dentro de campo, o volante do Inter de Milão afirmou que “se não fosse jogador de futebol, teria sido um assassino”. O atleta recordou o começo de carreira complicado e o ambiente em que cresceu, cercado pela criminalidade.

“Eu vivi em uma das favelas mais perigosas de Volta Redonda, e ali havia drogas e armas. Deixei aquela vida para perseguir o meu sonho. Às vezes, eu ia para os treinamentos e na volta algum dos meus amigos tinha morrido. Eu tive que dizer sim ao futebol ou a uma vida ruim. E eu disse sim ao futebol e tive uma vida diferente”, afirmou o jogador.

Mas, nesta segunda-feira (25), Felipe Melo esclareceu a situação em uma publicação em sua página no Facebook. Segundo o jogador, foi apenas um mal entendido e que não quis dizer que seria um assassino, mas sim, que poderia ter entrado para o mundo do crime se a carreira no esporte não tivesse dado certo.

“Concedi a entrevista a um veículo de imprensa italiano, falando em italiano e, na hora, me fugiu a palavra no idioma. Quis dizer, na verdade, que se não fosse jogador, poderia acabar me enveredando no mundo do crime, pois as boas chances em uma comunidade de São Gonçalo, onde eu morava quando jogava no Flamengo, não são muitas, mas eu nunca teria coragem de matar alguém. Assassino, certamente não seria”, explica.

Confira a explicação completa do jogador:

 

À publicação italiana, ele ainda afirmou que ter se tornado um jogador profissional o auxiliou a encontrar o melhor caminho para sua vida. O jogador contou sobre as dificuldades que enfrentou no início da carreira e agradeceu ao apoio dos familiares. Após deixar o Flamengo, clube no qual começou a jogar nas categorias de base, Felipe Melo passou por Cruzeiro e Grêmio, quando ele conheceu a esposa e tudo realmente mudou.

“Quando conheci a minha esposa, nasceu outro Felipe Melo. No Grêmio, gastava todo o meu salário e levava uma vida estranha. Tive três filhos com ela e com a minha família eu conquistei tudo o que tenho agora. Depois de Deus, eles são as pessoas mais importantes. Dizem que atrás de um grande homem há uma grande mulher, eu digo que a mulher está sempre do lado”, disse.

 

(* Colaborou Mariana Durães)