Final de campeonato envolvendo a Seleção Brasileira transforma qualquer ambiente. E se a decisão for no Maracanã, a magia fica ainda maior. 

Grande palco do futebol nacional, o Maraca se globalizou na tarde deste domingo (7). Cidadãos de varias as nações chegaram ao Rio de Janeiro para a final da Copa América entre Brasil e Peru. 

Nos arredores do estádio os torcedores sul-americanos principalmente soltaram a voz para cantar, provocar torcedores rivais e festejar. 

Teve de tudo um pouco nos arredores de um dos mais sagrados palcos esportivos do mundo. Até a réplica da taça da Copa América apareceu. 

“Uma festa tremenda. Sempre bom interagir e brincar com a galera”, disse rapidamente o dono e criador do troféu, que logo sumiu na bagunça. 

Onde tinha uma câmera de filmar lá estavam inúmeros torcedores. De um lado os peruanos cantando, e os brasileiros chegavam para abafar a cantoria dos adversários. 

Provocações ao atacante Paolo Guerrero, que é um dos grandes destaques do futebol peruano e esteve recentemente suspenso por doping, também aconteceram. 

O centroavante foi bastante lembrando nos cantos provocativos: “Mil gols, só Pelé, só Pelé, Guerrero cheirador”, cantavam os brasileiros em uma adaptação de música já existente é direcionada também ao ex-jogador argentino Maradona. 

Duas enormes bandeiras também foram hasteadas nos arredores do Maracanã. Torcedores usaram instrumentos de percussão para aumentar ainda mais o tom dos cânticos. 

Torcedores fantasiadas também coloriam as imediações do estádio. Índio, homem-árvore e até uma cabeça do “Canarinho pistola” contrastavam com o universo do futebol criado no Maraca.