O Flamengo e o Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro assinaram nesta sexta-feira  (15) um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para a regularização da segurança contra incêndio e pânico no centro de treinamento do clube, conhecido como Ninho do Urubu.

No dia 8 de fevereiro, um incêndio destruiu o alojamento das categorias de base do Flamengo e deixou 10 atletas mortos e três feridos.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o acordo assinado nesta sexta-feira (15) prevê que o clube deve regularizar o centro de treinamento dentro de 90 dias, ou terá que pagar multas. O clube deve agora solicitar a emissão do Certificado de Aprovação dos bombeiros, documento que atesta que o projeto de segurança apresentado e aprovado foi executado com exatidão.

O acordo foi pedido pelo Flamengo em 8 de março, e a solicitação passou pelo crivo das áreas técnica e jurídica do Corpo de Bombeiros.

Bombeiros estiveram nesta sexta-feira no Ninho do Urubu para realizar uma vistoria pedida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. O objetivo da visita é produzir um relatório.

Em um vídeo postado nas redes sociais do Flamengo, o vice-presidente geral e jurídico, Rodrigo Dunshee, comemorou a assinatura do acordo e disse que o clube está mais próximo de obter o alvará definitivo de funcionamento junto à Secretaria Municipal de Fazenda. 

"Agora o Flamengo está se aproximando de encerrar essa página triste, a mais triste da história do Flamengo. Mas a vida tem que seguir e agora vamos na Prefeitura, na Secretaria Municipal de Fazenda", disse Dunshee.

Leia mais:
Base do Flamengo volta ao trabalho com a presença de sobreviventes de incêndio
Um mês após tragédia no CT do Flamengo, famílias sofrem com incerteza e angústia

Atleta do Flamengo que sofreu queimaduras é transferido de hospital