federacao mineira de volei, fmv, tomas mendes, volei

O mundo sofre com a pandemia do novo coronavírus e o "planeta esportivo", que movimenta milhões em cifras, também sente os fortes impactos pela não realização de jogos e queda de receitas. Algo que atingiu em cheio a Federação Mineira de Vôlei (FMV). E mesmo com todas as dificuldades, a entidade busca se reinventar.

A FMV realiza ações para seguir com o desenvovimento do voleibol em Minas, como o início da venda, em março, de camisas da Seleção Mineira de Vôlei. "Atletas como Camila Brait, líbero da Seleção Brasileira e do Osasco Vôlei, Carol, meio de rede da Seleção Brasileira e Praia Clube, e o líbero Maique, também da Seleção e do Minas Tênis Clube, foram formados no esporte estadual e tiveram passagem de destaque com a camisa da Seleção Mineira", destaca a FMV em nota. 

Por meio das transmissões ao vivo nas redes sociais a FMV vai difundir suas ideias e potencializar arrecadações para o caixa da entidade. Nessas lives atletas e ex-jogadores enviaram mensagens aos fãs contando um pouco da história deles representando Minas Gerais. O vídeo foi uma espécie de convocatória para os os mineiros, fanáticos pelo vôlei, adquirirem o uniforme da Seleção Estadual. De acordo com a FMV já foram realizadas seis lives com diferentes temas e "sempre com boa participação de público", destaca a entidade em nota oficial. 

Douglas Cordeiro, ex-jogador, e Filipe, um dos ícones do multicampeão Sada Cruzeiro, participaram de lives para falar da trajetória na carreira, dificuldades no percurso até o profissional, de títulos e dos momento engraçados na vida como atleta. 

A atleta Ana Patrícia, mineira do vôlei de praia e classificada para os Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, também foi uma das personagens dessas transmissões ao vivo da Federação Mineira de Vôlei. 

Há previsão de ajuda aos atletas de baixa renda das categorias de base de clubes mineiros com a venda dessas camisas. 10% do arrecadado será usado para compra de cestas básicas que serão repassadas a essas pessoas, de acordo com a FMV.

"A venda das camisas da Seleção Mineira é uma ação que nos enche os olhos, saber que a história da Seleção Mineira, recheada de craques, hoje pode também levar ajuda a quem precisa, é muito gratificante, estamos muito empolgados em ajudar os atletas de Voleibol da categoria de base que precisam desse apoio", comentou o presidente da FMV Tomás Mendes. 

Outro destaque é a formação de novos treinadores e árbitros. Há cursos oferecidos em plataformas digitais em parceria com a Confederação Brasileira de Vôlei. De acordo com a expectativa é formar mais 150 treinadores e 50 novos árbitros. 

Nomes conhecidos no cenário do voleibol estão inseridos nesse contexto do curso, como Rubinho, treinador do SESI-SP e campeão olímpico Rio 2016 como auxiliar técnico na Seleção Brasileira, e Luizomar de Moura, responsável pela condução do Osasco Voleibol, e campeão Mundial de Clubes.

“Com a paralisação dos jogos e competições, o nosso planejamento foi alterado, pensamos e articulamos ações para levar o voleibol para todos, cursos e lives vem sendo ferramentas importantes no nosso dia a dia”, disse. Mendes.