O aniversário de 34 anos foi ontem, mas o atacante Fred espera festejar e ganhar o presente nesta quarta-feira (4), na final da Primeira Liga entre Atlético e Londrina, às 21h45, no Paraná.

Vivendo um dos piores jejuns da carreira, o goleador alvinegro tem a oportunidade de conquistar o segundo título pelo Galo e, quem sabe, encerrar em grande estilo a sequência negativa de dez partidas sem balançar as redes.

Caso ajude o clube mineiro a faturar o troféu, o camisa 9 se tornará o primeiro e único bicampeão do torneio independente, após a taça erguida pelo Fluminense na edição inaugural, no ano passado.

A participação do centroavante naquela campanha, entretanto, foi irrisória (veja os números abaixo). O jogador ficou marcado negativamente pela expulsão logo na estreia e a consequente suspensão pelo restante da caminhada tricolor até o pódio.

Desta forma, ele vive a expectativa de escrever outra história na competição, com um novo triunfo, mas agora como protagonista. Papel este já exercido no Campeonato Mineiro, quando conduziu a equipe atleticana ao êxito e recebeu os prêmios individuais de artilheiro e craque do Estadual, com ao todo dez gols e três assistências, uma delas na final contra o Cruzeiro.

“Mesmo que os nossos objetivos fossem outros (Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil), estamos em uma final, e não conheço ninguém que ficou desvalorizado por vencer campeonato. Vamos em busca desse título”

Fred, 
após a vitória sobre o Paraná

PARTICIPAÇÕES

Em 2016, Fred viu de longe a comemoração dos então companheiros tricolores após a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR na decisão.

A atuação na campanha ficou limitada a 70 minutos em campo, ainda na rodada de estreia, contra o próprio Furacão. Expulso após agressão ao lateral Léo, o atacante foi punido com cinco partidas de suspensão, desfalcando assim o Fluminense até a final.

O gancho foi tão grande que impediu o centroavante de disputar também o primeiro clássico mineiro de 2017, na abertura desta edição da Primeira Liga. Da arquibancada, ele nada pôde fazer para evitar a derrota para a Raposa, por 1 a 0.

O alívio veio na segunda rodada, quando, em cobrança de pênalti, abriu o caminho para a vitória alvinegra por 2 a 0 sobre o Joinville – a única na etapa de classificação.

Poupado no encerramento da primeira fase (empate em 2 a 2 diante da Chapecoense), o camisa 9 voltou nas quartas de final e colaborou com passe para o gol decisivo de Clayton na classificação sobre o Internacional, por 1 a 0.

Na semifinal – já durante o atual período de jejum –, Fred teve atuação apagada, desperdiçou uma chance cara a cara com o goleiro e acabou substituído por Rafael Moura no segundo tempo do triunfo por 1 a 0 sobre o Paraná.

ARTILHARIA

O atacante balançou a rede pela última vez no dia 16 de julho, na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-GO, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar da seca, porém, continua sendo o jogador mais fatal do elenco, com 23 gols e oito assistências na temporada.

É essa a aposta do recém-chegado técnico Oswaldo de Oliveira. “Estou muito feliz com o empenho. Jogadores com essa experiência, qualidade e tarimba podem render suficientemente bem para entrar e resolver partidas”, avaliou o treinador após a estreia com vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, no último domingo, pela Série A.

Na ocasião, coincidentemente, o também veterano Robinho encerrou um jejum ainda maior, de 23 jogos.

Se conseguir superar a má fase, Fred ainda pode sonhar, inclusive, com o décimo prêmio de artilheiro da carreira. Até esta final, oito jogadores aparecem empatados com dois gols, entre eles o colega Clayton e os adversários Alisson Safira, Paulo Rangel e Carlos Henrique.

Vale destacar que, pelo Galo, o centroavante já balançou a rede duas ou mais vezes num mesmo jogo em cinco ocasiões (contra Vitória, América, Democrata, Sport Boys-BOL e Cruzeiro).

No Londrina, o técnico Claudio Tencati aposta no “pé-quente” Ayrton, também campeão pelo Flu em 2016. Por outro lado, não conta mais com o atacante Jonatas Belusso, artilheiro do Tubarão neste ano com 11 gols, vendido recentemente para o futebol chinês.