Falar o nome do atacante Fred para torcedores de Atlético e Cruzeiro atualmente passa longe de ser boa ideia. Brigando na Justiça com a dupla, o jogador de 36 anos foi do céu ao inferno desde 13 de abril de 2017, quando levou o torcedor alvinegro presente no Independência ao delírio.

Naquela noite de quinta-feira, a equipe comandada pelo técnico Roger Machado entrou em campo para encarar o Sport Boys, da Bolívia, em duelo válido pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores.

Os mais de 18 mil atleticanos presentes viram Fred e companhia golear o time da cidade de Warnes por 5 a 2, com incríveis quatro tentos do ‘homem-gol’, contratado no meio do ano anterior junto ao Fluminense. Este foi o jogo em que o centroavante mais balançou as redes com a camisa preta e branca.

Conhecido pelo poder de decisão, Fred teve o papel de ampliar o marcador aberto por Robinho, que superou o goleiro Carlos Arias logo aos 4 minutos do primeiro tempo.

Inspirado e de bem com a Massa, o atacante correu para o abraço aos 27 e 29 minutos da etapa inicial e aos 43 e 47 da complementar. Tenório e Messidoro descontaram para os bolivianos, comandados por Xabier Azkargota.

Atlético

Final infeliz

O tempo passou, e Fred foi se tornando um atleta caro para as limitações financeiras do alvinegro. Acumulando 83 partidas e 41 gols pelo clube, o camisa 9 viu o ciclo se encerrar no fim do ano. Em rescisão nada amigável com a diretora recém-eleita – era um dos primeiros atos de Sérgio Sette Câmara –, ele acabou deixando a Cidade do Galo.

A ida para o Cruzeiro, anunciada poucos dias depois, se tornou uma novela. O contrato especial, que pedia R$ 10 milhões caso o atleta acertasse com o maior rival, parou no âmbito judicial e até hoje rende capítulos nos bastidores. A próxima audiência, inclusive, está marcada para setembro, na Justiça do Trabalho.

Desgaste na Toca

Contratado no início de 2018 para voltar a vestir a camisa do Cruzeiro, Fred posou para foto com Wagner Pires de Sá e Itair Machado, naquele momento presidente e vice de futebol da Raposa, respectivamente, provocou o Atlético com as mãos, fazendo alusão ao 6 a 1 de 2011, e, com essa ação, começou a reconquistar a confiança da desconfiada China Azul.

Cruzeiro

Contudo, aquela temporada não foi nada boa para o atacante. Com apenas 15 jogos disputados e quatro gols marcados, ele sofreu grave lesão e ficou grande parte do tempo de molho no departamento médico. Este contratempo fez com que a esperança de voltar a ser o grande artilheiro do time celeste fosse adiado para 2019.

Recuperado e buscando mostrar serviço para Mano Menezes, primeiro treinador da Raposa na “temporada do rebaixamento”, Fred conseguiu ao menos melhorar consideravelmente os números. Em 54 partidas realizadas, ele balançou a rede 21 vezes. Além disso, protagonizou postagens inusitadas e de sucesso nas redes sociais, se intitulando “Rei dos Stories” do Instagram.

Entretanto, com o time entrando em queda vertiginosa, principalmente após as eliminações na Libertadores e na Copa do Brasil, o atacante desenhava ali mais um final infeliz, assim como aconteceu ao deixar a Cidade do Galo – coletivamente, foi o pior momento da carreira.

Com a queda do Cruzeiro para a Série B confirmada e a grave crise vivida nos bastidores do clube, Fred passou a ser dúvida para a temporada atual. Os vencimentos eram elevados, e ele não aceitou a redução salarial proposta pela nova diretoria, escolhida após o afastamento de quem lhe trouxe como grande reforço.

Desejando retornar ao Fluminense, time onde foi ídolo, Fred voltou ao cenário jurídico. Sem acordo com a Raposa, o atacante faz pedidos que totalizam algo na casa dos R$ 75 milhões.