O atacante Fred relembrou vários momentos de sua carreira em entrevista ao comentarista Walter Casagrande Jr. No bate-papo, exibido neste domingo (26), no programa Esporte Espetacular, da Rede Globo, o jogador falou sobre sua passagem pela França, as dificuldades enfrentadas na época, como a depressão e o alcoolismo, e o retorno ao Brasil. 

“O que mais me arrebentou na Europa foi quando eu me separei, a minha filha veio para o Brasil e aí acabou a minha cabeça”, contou o jogador. Ele ainda confessou que, apesar de não ter notado durante o período, passou por uma depressão. “Eu só consigo entender hoje. Eu saía para o treino, do treino saía para beber. Bebia vinho. Para mim, era uma parada social, mas não era. Eu estava bebendo todos os dias. Não estava tendo prazer em jogar futebol”, disse.

Outro momento difícil de sua trajetória, lembrado pelo jogador, foi a goleada sofrida diante da Alemanha, na Copa do Mundo de 2014. Para o atacante, camisa 9 da Seleção brasileira na competição, faltou maturidade à equipe de Felipão ao longo do torneio. “A gente tinha que ter tido humildade para reconhecer a grandeza dos adversários”, avalia o jogador, que lembra que, após o título da Copa das Confederações, a Seleção se considerava favorita no Mundial. 

Na partida marcada pelo placar de 7 a 1, o jogador acredita também que faltou maturidade e calma à equipe. “Eu lembro que estava 2 a 0 e, preocupado, eu falei: "Calma, gente! Vamos fechar um pouco a casinha". E a gente só falava em vamos virar, vamos virar. Eu acho que nós, dentro de campo, tínhamos que ter mais maturidade de enxergar que estava tudo errado e a gente estava tomando um amasso. Recuar um pouco, equilibrar, porque no segundo tempo a gente poderia virar. E não. A gente tomou 1 a 0, vamos virar. 2 a 0, vamos virar. E a gente acabou o primeiro tempo tomando 5 a 0”, recordou o jogador. 

Apesar de ter vivido o melhor momento de sua carreira após o título da Copa das Confederações, o atacante confessou que a eliminação no Mundial foi o pior momento de sua carreira. “Tinha certeza que não conseguiria voltar a jogar no Brasil”, disse ele, expressando gratidão ao Fluminense, durante o período pós-Copa. 

Saída do Atlético e ida ao Cruzeiro

O atacante Fred também falou sobre a troca entre rivais mineiros, em 2018. Com o jogador fora dos planos, a equipe alvinegra tinha negociações avançadas com o Flamengo. “O meu empresário disse ao presidente: o Fred pode até sair, mas ele vai para onde quiser”, lembra. E, foi também em uma ligação, que o jogador ficou sabendo da proposta do Cruzeiro, que terminou sendo o seu destino final. 

Libertadores

Apesar da fase ruim do Cruzeiro, Fred aposta na força da equipe na Libertadores. “Acho que a gente está forte. Mas é mata-mata, então não dá para dizer o que vai acontecer”.