A Associação Paraguaia de Futebol (APF, na sigla em espanhol) apresentará queixa contra a Fifa por ter tirado pontos da Bolívia e dado ao Chile e ao Peru na disputa das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia.

A seleção boliviana foi punida por ter escalado irregularmente o zagueiro Nelson Cabrera no empate sem gols com o Chile e no triunfo por 2 a 0 sobre o Peru. A Fifa declarou a seleção boliviana derrotada por 3 a 0 em ambas as partidas, decisão que afundou o país na busca por uma vaga na Copa do Mundo de 2018 e mudou a tabela de classificação.

A Argentina e o Paraguai ocupavam a quinta e a sexta colocações, respectivamente, e baixaram uma posição. Wigberto Duarte, assessor jurídico da APF, informou nesta quarta-feira "que não pode intervir com uma apelação, mas sim fará uma reclamação".

Ainda afirmou que a comissão disciplinar da Fifa aceitou fora do tempo legal o protesto do Chile: a partida contra a Bolívia aconteceu em 6 de setembro e a reclamação aconteceu apenas em 3 de outubro. "O regulamento processual da Fifa estabelece que um protesto deve ser feito nas duas horas seguintes do final da partida e ter as documentações incluídas nas 24 horas seguintes. O Chile não cumpriu esse requisito".

Com dois pontos a mais e três gols a favor na tabela de classificação, a seleção chilena chegou aos mesmos 16 pontos da Argentina e do Paraguai na tabela de classificação. Mas subiu para a quinta colocação por ter feito mais gols do que a rival (15 a 11). O Paraguai é o sétimo com 15.

Os quatro primeiros colocados das Eliminatórias Sul-Americanas garantem vaga diretamente para a Copa da Rússia, em 2018. O quinto colocado disputa a repescagem com a melhor seleção da Oceania.