Depois de viver um dos melhores momentos de sua carreira e conquistar os títulos paulista e da Copa do Brasil sob o comando de Dorival Júnior, em 2010, no Santos, o meia Paulo Henrique Ganso desejou sorte ao treinador no comando do São Paulo.

"O Dorival é um dos melhores treinadores com o qual eu já trabalhei. Além disso, é uma excelente pessoa, um cara honesto e de muito caráter. Estou na torcida para que tenha muito sucesso no tricolor", afirmou o meia ao site oficial do São Paulo.

Dorival terá no São Paulo desafio semelhante ao que encontrou no Santos: livrar a equipe da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e intensificar o trabalho de formação de jogadores, como fez com Neymar e o próprio Ganso. Uma das missões de Dorival é aproximar o trabalho do Centro de Formação de Atletas, em Cotia, e o Centro de Treinamento da Barra Funda, onde se prepara o time profissional.

De volta ao Sevilla, da Espanha, para a pré-temporada, após período de férias no Brasil, Ganso foi ao Morumbi recentemente para assistir à vitória por 2 a 0 sobre o Avaí pelo Campeonato Brasileiro. Sua passagem pelo clube foi marcante. Entre 2012 e 2016, Ganso disputou 221 jogos pelo São Paulo, com 24 gols e 49 assistências.

O treinador tem problemas particulares para resolver em Santa Catarina que envolvem o estado de saúde de um familiar. Por isso, deverá permanecer em Florianópolis até o final da semana. Desta forma, o auxiliar Pintado, que faz parte da comissão técnica permanente do São Paulo, vai dirigir a equipe no clássico com o Santos, domingo, às 19 horas, na Vila Belmiro, pela 12ª rodada do Brasileirão.

Depois de ter sido derrotado pelo Flamengo por 2 a 0 no último domingo, o São Paulo fechou a 11ª rodada encabeçando a zona de rebaixamento da tabela, em 17º lugar, com apenas 11 pontos. O fato acabou sendo determinante para a demissão de Rogério Ceni, ocorrida na última segunda-feira.