Se no Brasileirão, o Cruzeiro de Rogério Ceni levou apenas um gol em três jogos, na Copa do Brasil, sofreu três tentos em um jogo só. Nem mesmo o goleiro Fábio, que tantas vezes salvou a equipe nesta temporada, pôde evitar o pior no Beira-Rio, em duelo que terminou em goleada do Inter, por 3 a 0, sobre a Raposa.

Ao fim da partida de volta das semifinais do torneio mata-mata, o camisa 1 celeste elegeu os erros de passe e a desatenção do setor defensivo como os principais fatores do revés do time mineiro.

“Para jogar uma decisão como essa, é necessário erro mínimo possível. Erramos muitos passes. Demos oportunidade ao Inter de criar, e a equipe deles, que é de qualidade e tem jogadores de velocidade, aproveitou. No último gol, teve falta de atenção de todos. Achamos que o jogo já tinha acabado, e os caras aproveitaram”, comentou o arqueiro.

Mesmo com tantos problemas em campo, Fábio acreditava que seria possível inverter a vantagem do Colorado, que já havia ganhado o duelo de ida, no Mineirão, por 1 a 0, em agosto.

“Nosso time estava jogando bem (nessa quarta), até sofrer o primeiro gol, em um lance bobo de erro de passe. Não fizemos o gol, erramos muito, e o Inter aproveitou”, disse.

O Cruzeiro agora volta suas atenções para o Brasileirão. Neste domingo (8), às 11h, no Independência, a equipe encara o Grêmio, pela 18ª rodada do Brasileirão.