Substituir o ídolo João Ricardo, que recentemente trocou o América pela Chapecoense, será missão complicada para os goleiros do time alviverde. Fernando Leal, uberabense de 37 anos e velho conhecido do torcedor, deve ser o escolhido do técnico Givanildo Oliveira para ocupar o posto deixado por “São João do Horto”.

Apesar da experiência, Leal está longe dos 214 jogos realizados pelo antecessor com a camisa do Coelho. No clube desde 2014 e com contrato renovado até dezembro, o goleiro de 1,92 metro de altura foi titular em 24 oportunidades; sendo apenas uma na última temporada. Ao todo, foram 12 vitórias, 10 empates e outras duas derrotas com o novo dono do posto em campo. O aproveitamento é de consideráveis 64%.

“O Givanildo dispensa comentários. Trabalhei por dois anos com ele, joguei pouco, mas foi um treinador que me apoiou nas duas renovações que tive”, comentou o arqueiro em entrevista ao Superesportes, realizada no último mês de 2018. “Ele tinha demonstrado uma confiança muito grande no meu potencial. É um técnico que nos passa total confiança em todos os momentos e sempre deixa o jogador à vontade para fazer o seu melhor. Isso é muito importante” acrescentou.

Outras opções 

Já Jori, de 22 anos e que mede 1,90 metro, figura atualmente como segundo goleiro do plantel alviverde. Nascido na pequena Periquito, cidade do Vale do Aço com população de pouco mais de 7 mil habitantes, ele soma 11 duelos como camisa 1 do Coelho; todos em 2018, quando substituiu os lesionados João Ricardo e Fernando Leal.

Cria do CT de Santa Luzia, o periquitense subiu ao time principal em 2016. De lá para cá, ele obteve três vitórias, um empate e outras sete derrotas como titular do gol americano. O aproveitamento do garoto é de apenas 30%.

Glauco, que aparece como terceira opção para Givanildo, também foi revelado nas categorias de base do América e foi promovido ao time principal no mesmo ano que Jori.
Desde então, o belo-horizontino de 23 anos e 1,91 metro de altura foi acionado em seis partidas; destas, venceu três, empatou uma e perdeu duas. Ele tem aproveitamento de 56% quando figurou entre os onze titulares.

Se forem somados todos os jogos de Leal, Jori e Glauco pelo América, 41 no total, o resultado será de 19% em relação ao número de partidas que o antigo dono da camisa 1 realizou no clube (214).

De acordo com o alviverde, por meio de sua assessoria, a contratação de um novo goleiro não está descartada pelo departamento de futebol. “Estamos sempre atentos ao mercado”, afirma o clube.

JOÃO RICARDO