“Nunca desista, tudo passará um dia”. Esta foi a mensagem deixada pela mineira Ana Luiza Kalil, durante sua primeira visita a um paddock do Mundial de Fórmula 1, no ano passado, em Interlagos. Atleticana apaixonada, ela dividia o amor pelo futebol com a principal categoria automobilística do planeta. Infelizmente, na última quarta-feira (5), acabou não resistindo a mais uma investida da leucemia e faleceu aos 31 anos.

Neste domingo (8), Aninha recebeu uma homenagem gigante, no GP que comemorou os 70 anos da competição, em Silverstone, Inglaterra.
Por meio das redes sociais, a F1 lembrou da experiência de Aninha no Autódromo José Carlos Pace, quando teve a chance de conhecer o ídolo Daniel Ricciardo. O mesmo que a premiou como a dona do ‘melhor shoey’: ela fez questão de imitar o gesto do piloto da Renault, então na Red Bull, bebendo champanhe no sapato para comemorar os 100 dias do transplante de medula. E acabou premiada com as sapatilhas autografadas de Ricciardo.

Mais do que isso, uma prova tão especial para a história do Mundial foi dedicada para ela. “Hoje é dedicado pra Ana”, foi a frase, em bom português, com que o circo homenageou uma torcedora tão especial. E destacou o que ela representou com sua história. “Ana Luiza representou tudo o que amamos sobre os fãs da F1: alegre, iluminada e, acima de tudo, apaixonada. Seu espírito incrível tocou a todos nós”.