Desde que chegaram ao Atlético, o técnico Jorge Sampaoli e o diretor de futebol Alexandre Mattos trabalham para montar um plantel mais qualificado dentro da Cidade do Galo. O setor ofensivo, inclusive, vem sendo uma das preocupações do clube, ciente das dificuldades impostas pelo mercado, sobretudo neste momento de pandemia do novo coronavírus. Nomes como Roger Guedes, Lucas Pratto e Marcelino Moreno chegaram a ser ventilados. Nenhum martelo, no entanto, foi batido.

A situação mais recente é com relação ao centroavante Adolfo Gaich. Segundo a imprensa argentina, o Atlético fez uma proposta de cerca de US$ 5 milhões por 50% dos direitos do avante, de 21 anos, do San Lorenzo, mas o clube hermano disse “não”. A cúpula alvinegra, por sua vez, rechaça que tenha formalizado oferta a qualquer atleta neste momento de pandemia.

Guedes

Sonho alvinegro desde a temporada passada, Guedes continua na mira. Nessa semana, em entrevista ao canal Fox Sports, Mattos enfatizou as dificuldades em trazer o atacante do Shandong Luneng, porém, se mostrou esperançoso.

“Há um interesse do Roger em ficar no Brasil. Então nós vamos, dentro da realidade do Atlético, tentar fazer um acordo. Primeiro tem que ser tratado com o Shandong e deve ser um acordo de compra. Beira quase o impossível (contratar Guedes), mas não é. Quando você coloca o coração, vontade, principalmente num clube como o Atlético, a possibilidade de êxito é enorme”, disse.

Pratto e Marcelino

Em contato com a reportagem do Hoje em Dia, o agente de Lucas Pratto, Gustavo Goñi, havia dado duas respostas nas duas últimas semanas. Primeiramente, havia dito que não recebeu propostas pelo centroavante. Mais recentemente, descartou a possibilidade de o jogador voltar ao Galo.

Já Marcelino Moreno, do Lanús, continua nos planos do Atlético. Pelo menos, é o que confirma o presidente do clube argentino, Nicolás Russo. “Sabemos do interesse do Atlético Mineiro por Marcelino Moreno, porém devemos vendê-lo pelo valor verdadeiro do jogador e não a qualquer cifra", disse à Rádio Lanús 2000.

Atlético