No fim do jogo, a comemoração de Alessandro pela classificação heroica do Ipatinga em cima do Cruzeiro, em pleno Mineirão, era ofuscada por uma ‘revelação’. O atacante não sabia que ficaria fora dos dois duelos da decisão do Mineiro, contra o Atlético.  O avante acreditava que o cartão vermelho que recebeu direto eliminaria o terceiro amarelo que ganhou na mesma partida diante da Raposa. Mas não! Ele teria que cumprir suspensão pelas duas situações.

A dupla surpresa – a eliminação dos celestes para o Tigre, que, aliás, deu um 'chocolate' em campo, e o susto de Alessandro por sua ausência na final – ocorreu no dia 18 de abril de 2010, há exatos dez anos. Aquele é considerado o ‘último suspiro’ do Ipatinga no Estadual. Depois daquilo, o time acumulou desastres, sendo rebaixado em 2011 para o Módulo II e nunca mais retornou à elite mineira.

Naquele duelo em questão, que terminou em 3 a 1 para o Ipatinga, o Cruzeiro poupou alguns jogadores, apostando que venceria com uma equipe mista. Era algo que fazia parte da filosofia de trabalho do técnico Adilson Batista, de preservar atletas visando competições mais importantes, no caso, a Libertadores.

No entanto, a maior ambição do treinador nunca foi alcançada. Em 2009, bateu na trave, ao perder a final para o Estudiantes, da Argentina, no Mineirão. O mesmo estádio onde sofreu um novo baque no ano seguinte, desta vez na segunda partida da semifinal do Mineiro.

Diante de 17.396 pagantes no Gigante da Pampulha, a Raposa viu o Tigre abrir 3 a 0 no segundo tempo, com gols de Danilo Dias (2) e Alessandro. No finalzinho, Wellington Paulista diminuiu o prejuízo, mas não evitou a eliminação. Aos azuis, bastava apenas um empate para seguir em frente na busca pelo tricampeonato mineiro, resultado que esteve distante de acontecer.

Ficha do jogo (fonte: site oficial do Cruzeiro) 

Cruzeiro 1 x 3 Ipatinga
Motivo
: segundo jogo da semifinal do Campeonato Mineiro
Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte
Data: 18/04/2010 (domingo)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa)
Público: 17.396 pagantes
Renda: R$ 314.253,39
Gols: Danilo Dias, aos 15 min. e aos 20 min., Alessandro, aos 35 min., e Wellington Paulista aos 43 min. do 2º tempo
Cartões amarelos: Henrique, Fabinho e Pedro Ken (Cruzeiro); Eber, Marinho Donizete e Alessandro (Ipatinga)
Cartões vermelhos: Thiago Heleno (Cruzeiro); Alessandro e Max Carrasco (Ipatinga)

Cruzeiro: Fábio; Diego Renan, Gil, Thiago Heleno e Fernandinho (Thiago Ribeiro); Fabinho, Pedro Ken, Henrique e Bernardo (Jonathan); Roger (Gilberto) e Wellington Paulista
Técnico: Adilson Batista

Ipatinga: Douglas; Silvio (Patrick), Max e Éber (Afonso); Luizinho, Max Carrasco, Leanderson (Matheus), Francismar e Marinho Donizete; Danilo Dias e Alessandro
Técnico: Gilson Kleina