Há dez anos, Marílson Gomes dos Santos entrava para a história do atletismo brasileiro. Em 5 de novembro de 2006, o corredor conquistou o título da Maratona de Nova York. (CONFIRA OS MELHORES MOMENTOS ABAIXO)

Ao completar os 42,195 km, em 2h09m58, Marílson se tornou o primeiro sulamericano a vencer a maratona novaiorquina. Foi também a primeira vez que o brasiliense venceu uma prova com essa distância. 

Para o fundista, a conquista em solo norte-americano foi marco na sua carreira, que impulsionou várias conquistas nos anos seguintes.

"Essa vitória foi muito especial. Foi quando eu, pessoalmente, comecei a acreditar que poderia mesmo correr a distância, que era capaz. Depois de ganhar a Maratona de Nova York pela primeira vez, consegui alcançar os objetivos que queria: quebrei o recorde sul-americano da meia-maratona em 2007 - era o único não africano a correr abaixo de 1h (59min33), melhorei minha marca na maratona também (em Londres/2007 fez 2h08min37), ganhei Nova York pela segunda vez em 2008 e participei de três Olimpíadas", analisou Marílson.

Vida nova

Aos 39 anos, Marílson  se aposentou após a disputa da maratona dos Jogos Olímpicos do Rio, em que terminou na 59ª colocação. 

Mesmo afastado das competições especiais, o atleta vai continuar próximo do esporte que praticou desde os 12 anos. 

O agora ex-atleta vai ocupar um cargo no Clube de Atletismo BM&FBOVESPA,onde treinava quando era atleta,  trabalhando junto às categorias de base da equipe. 

Em relação a essa nova etapa, Marílson mostrou empolgação, destacando a oportunidade de continuar envolvido com o atletismo. 

"Quero ajudar a detectar novos talentos, fazer o intercâmbio com atletas que já tenham bons resultados. Quero viajar para ver competições, observar a garotada que está competindo."