Dois jogadores que fizeram história em Minas Gerais podem voltar a disputar um clássico em breve. O primeiro deles, o volante Henrique, já é reforço garantido no Cruzeiro, mesmo sob a desconfiança de muitos torcedores da equipe celeste. O outro, o atacante argentino Lucas Pratto, é visto como possibilidade no Atlético, sendo uma espécie de "Plano B" para a diretoria do clube alvinegro.

Vivendo momento parecido, a dupla de "trintões" pode encontrar em Raposa e Galo, respectivamente, a oportunidade de dar a volta por cima no mundo da bola e, quem sabe, voltar a escrever capítulos importantes.

No caso do cruzeirense Henrique, a dor do rebaixamento para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro fez com que, por impulso, deixasse Belo Horizonte no início do ano para acertar com o Fluminense, num empréstimo que iria até o fim da temporada. Sem espaço no Tricolor - apesar de ter sido titular nas sete partidas que disputou - e arrependido da escolha, como ele mesmo afirma, acabou voltando à capital mineira com discurso de perdão.

Apresentado pelo presidente Sérgio Santos Rodrigues na última quinta-feira, o volante se emocionou com a recepção de companheiros de time e funcionários do clube, mas também precisou dar explicação à China Azul. Pelo Cruzeiro, ele fez 516 partidas e acumulou canecos importantes, como o bicampeonato da Série A (2013 e 2014), as duas taças da Copa do Brasil (2017 e 2018), além dos seis títulos estaduais (2008, 2009, 2011, 2014, 2018 e 2019).

Henrique

Volante diz que coração pesou para a decisão de voltar ao time celeste

"Se eu decepcionei o torcedor cruzeirense o ano passado, pelo rebaixamento, me perdoem. Sou falho. Sou humano, também. Tenho a minha parcela sim. Mas vocês viram o tanto que eu lutava, me dedicava. Como Fábio e Leo também cobravam. Infelizmente, aconteceu essa tragédia. Mas volto no momento de construção porque sei que o Cruzeiro tem que voltar ao caminho, que é a Série A, e tenho certeza que você (Sérgio Rodrigues) vai dar essa direção", disse Henrique.

“É um momento feliz e muito emocionante ao mesmo tempo. Voltar para o Cruzeiro, o lugar de onde eu nunca deveria ter saído. As vezes a gente age por impulso, por pensar que as cargas que carregamos do ano passado foram muito pesadas. A gente achou que, saindo, seria uma solução para a minha vida. Infelizmente, eu pude comprovar que não é real. O corpo foi, mas a alma ficou. Aqui está um cara de coração aberto. Já errei muito na vida e sei das minhas falhas, dos meus erros, do que eu já cometi. Peço perdão por esses erros e estou aqui, neste momento, de coração aberto, alma aberta", disse, completando com "o coração falou mais alto", acrescentou.

 

Argentino novamente na

pauta atleticana

Assim como Henrique, que volta ao Cruzeiro após tentativa frustrada de contratar Lucas Romero, atualmente no Independiente, da Argentina, Lucas Pratto pinta como opção de mercado no futebol mineiro. Apesar de ser ídolo da Massa Atleticana, o atacante de 32 anos não está no topo da lista de preferência da diretoria.

Estrangeiro que mais gols fez na história do Atlético, 42 no total, Pratto vive momento conturbado no River Plate, pelo qual foi campeão da Libertadores em 2018, na histórica final com o Boca Juniors, em Madri. Apesar de querido pela torcida, ele vem sendo preterido pelo técnico Marcelo Gallardo nos últimos meses e com salários atrasados desde janeiro no clube, estaria disposto a abrir mão de parte das pendências para negociar com outra equipe.

Pratto

Urso está em baixa no River Plate, onde foi campeão da Libertadores em 2018

Contudo, apesar da carência no setor de ataque, a diretoria do Galo tem Nahuel Bustos, do Talleres, de Córdoba (Argentina) como principal nome para reforçar o time comandado por Jorge Sampaoli. Porém, valorizado, o desejo dos hermanos é que o promissor jogador de 21 anos seja negociado com o futebol europeu. Em fevereiro, inclusive, parceiros do Atlético e representantes de clube e jogador estiveram reunidos na capital. Sem sucesso.

Condição
Caso prossiga a frustração nas tratativas, Lucas Pratto poderia, enfim, virar a bola da vez. Isso acontecerá, apenas, se Atlético e Franco Di Santo, que não faz parte dos planos de Sampaoli, concretizarem a rescisão contratual. O compatriota do Urso - apelido de Pratto desde os tempos de Vélez Sarsfield - tem o mesmo empresário do atacante do River. Em entrevista ao Hoje em Dia, Gustavo Goñi rechaçou a possibilidade de conversas, antes que a situação seja resolvida.

"Nunca devemos especular isso. Primeiro, temos que encerrar a situação de Franco. Depois veremos se realmente estão interessados (em Pratto)", disse Goñi. De acordo com a Rádio Itatiaia, Pratto chegaria ao time mineiro por empréstimo de dois anos. A ver. (H.A)