A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) está investigando a autenticidade de uma carta de duas décadas atrás, publicada na imprensa chinesa, que sugere o uso de doping por atletas do país nos anos 1990 e também lança dúvidas sobre os recordes mundiais de longa data estabelecidas por Wang Junxia nos 3.000 e 10.000 metros.

Os recordes de Wang poderiam ser anuladaos caso a dona de títulos olímpicos e mundiais tiver realmente admitido ter se dopado antes de estabelecer as marcas em 1993, disse a IAAF nesta sexta-feira (5).

O site chinês Tencent informou que Wang escreveu uma carta, assinada por nove outros membros do programa de treinamento de Ma Junren, que possuía apoio estatal, em 1995 ao jornalista Zhao Yu supostamente revelando que os atletas, que ficaram conhecidos como "Exército de Ma", foram forçados a tomar substâncias proibidas, injetadas pelo próprio técnico.

"É tudo verdade que o treinador Ma tinha batido, abusado verbalmente e nos maltratado durante anos", diz a carta, datada de 28 de março de 1995. "É também verdade que ele persuadiu ou nos forçou a usar grandes quantidades de substâncias proibidas. Seus crimes deve ser revelados porque não queremos ver a mesma coisa acontecer com a próxima geração. Essas desumanas torturas nos deixaram à beira de um colapso completo".

A IAAF emitiu um comunicado nesta sexta-feira dizendo que só tomou conhecimento das acusações quando foram publicadas pela imprensa e pediu para a Associação Chinesa de Atletismo ajudar com uma investigação para verificar se a carta, que está escrita em chinês e foi fornecida por Zhao para o Tencent nesta semana, é genuína.

"Se um atleta admitiu que, em algum momento antes de conseguir recorde mundial, havia usado ou se aproveitado de uma substância ou método proibido naquela época, então, sujeito ao conselho das comissões médica e antidoping, tal registro não vai continuar sendo considerado como um recorde mundial pela IAAF", disse o comunicado.

Wang Xunxia cronometrou 29min31s78 nos Jogos Nacionais da China em setembro de 1993, quebrando a marca dos 10 mil metros por 42 segundos. Nenhum corredor chegou a 22 segundos do seu tempo desde então. O recorde da chinesa nos 3 mil metros é de 8min06s11, também assegurado nos Jogos Nacionais de 1993. A hoje ex-atleta ganhou o ouro na prova dos 10 mil metros no Mundial de Atletismo de 1993 e na disputa dos 5 mil metros nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 1996.