Obviamente a principal função de Igor Rabello em campo é defender. Mas em várias ocasiões o zagueiro exaltou sua ansiedade em balançar as redes com a camisa do Atlético. Foram precisos 69 duelos para que o tão sonhado encontro entre o beque e as redes adversárias acontecesse. Neste domingo (16), contra a Caldense, ele anotou seu primeiro tento pelo clube.

Porém, o gol do zagueiro não foi o bastante para colocar um sorriso no rosto dele e dos atleticanos presentes no Mineirão. O time da capital perdeu por 2 a 1 da Veterana (o primeiro revés dos comandados de Dudamel neste Estadual) e saiu vaiado pela torcida. O maior alvo dos protestos vindos da arquibancada foi o volante Zé Welison, responsável direto pelo contra-ataque que resultou no gol da vitória da Caldense, marcado por João Victor.

Ao fim da partida, o autor do único gol do Galo defendeu o colega. “Torcedor é movido por paixão, sempre quer a vitória. Às vezes não sabe como é difícil estar aqui em campo. Acho injusto a vaia para o Zé. Estamos firmes com ele. Isso acontece com todo jogador. É seguir em frente”, declarou.

Atlético

Rabello

Após 111 partidas e seis gols em dois anos de Botafogo, Rabello chegou ao Galo em 2019. Logo de cara, um recorde: se tornou o atleta que mais vezes entrou em campo pela equipe na última temporada. No entanto, não sentiu o gostinho de marcar um gol sequer.

No seu quinto jogo pelo time neste ano, estufou as redes.