No último dia 25, o Independência completou 70 anos desde a sua inauguração. Um dos templos do futebol mineiro, o estádio coleciona uma rica história que marca as trajetórias de América, Atlético e Cruzeiro. Com as portas fechadas devido à pandemia do novo coronavírus, a Arena não recebe um jogo oficial desde 15 de março.

INDEPA

Arena do Horto está com movimentação mínima, apenas para manutenção de seu gramado

A brincadeira do título é uma referência à data da independência dos Estados Unidos, celebrada neste sábado. Nestes 111 dias (quatro meses) de inatividade, 15 funcionários convivem com contratos suspensos e a incerteza de quando voltarão à labuta. A última partida na Arena foi na vitória do Coimbra sobre o Cruzeiro, por 1 a 0, na nona rodada do Campeonato Mineiro.

Neste período sem futebol, a única movimentação no estádio tem sido para a manutenção do gramado. Para este serviço, apenas um engenheiro e outras duas pessoas foram acionadas para o trabalho em modo "full time" (constante).

 De acordo com apuração feita pelo Hoje em Dia, aqueles que tiveram os contratos suspensos (redução de 70% dos salários e da jornada de trabalho) voltarão a trabalhar apenas em 7 de agosto, um dia antes do retorno do futebol no Brasil, em data pré-estipulada pela CBF.

Contudo, caso o Campeonato Mineiro retorne no próximo dia 26, como não descarta a FMF, a administração do Independência acionará todo o quadro de funcionários e, conforme afirmou à reportagem, tem totais condições de abrir as portas para que a bola role pelo Estadual. O estádio do Horto é uma das opções para receber a retomada do campeonato, considerando a ausência de público, que dispensaria a necessidade de uma estrutura maior como a do Mineirão.