Toque de bola rápido, posse de bola, agressividade no ataque, alto número de finalizações. Componentes que não fazem parte da fórmula de jogar do Cruzeiro há muito tempo, mas que Rogério Ceni promete resgatar para a sequência da temporada. Neste domingo (18), às 16h, o novo treinador celeste espera colocar em campo uma amostra de sua filosofia de trabalho justamente diante de uma de suas inspirações.

Adversário dos azuis nesta 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos é comandado por Jorge Sampaoli, uma das referências de Ceni à beira do campo. “Acho que ele é um técnico acima da média, é fora da curva, merecedor de todo o sucesso”, declarou o técnico da Raposa durante sua apresentação na Toca II, na última terça-feira.

Essa “reverência” tem fácil explicação. O argentino é conhecido e reconhecido no mundo da bola por criar estratégias e variações que privilegiam o setor ofensivo. O futebol apresentando nos gramados do país e os números positivos consolidaram o Peixe como líder do Brasileiro, após 14 rodadas.

O Santos, de Sampaoli, é o time que mais finaliza (217 chutes, sendo 97 certos e 120 errados), o que mais desarma (304 desarmes; 254 certos e 50 errados) e que detém mais posse de bola (58% de posse, em média de jogos) na Série A. Além disso, é o segundo melhor ataque, com 25 bolas na rede, atrás apenas do Flamengo, com três gols a mais.

A título de comparação, os números do Cruzeiro, então comandado por Mano, no Brasileirão, são bem inferiores. A Raposa é somente a 16ª equipe na hierarquia das que mais finalizam (149 arremates; 62 certos e 87 errados), a 12ª em desarmes (232; 199 certos e 33 errados) e 11ª em posse de bola (49%, a média por partida). O time celeste possui ainda o terceiro pior ataque, com 11 gols, à frente somente de Avaí (sete tentos) e CSA (três). Todos esses dados são do Footstats.

Isso não quer dizer que o Cruzeiro não estará preparado para encarar o líder do Brasileirão. De ânimo renovado, os celestes tentarão fazer valer em campo as orientações de Rogério Ceni para, quem sabe, surpreender o melhor time do campeonato até agora, no Mineirão.

E que melhor maneira de Ceni iniciar sua trajetória na Raposa do que com um triunfo sobre um de seus “mestres”? “O Santos é uma das equipes mais difíceis de serem vencidas no campeonato. Mas vamos achar a melhor maneira de confrontá-lo”, sintetizou o técnico cruzeirense.

Nos treinos na Toca II, Rogério Ceni vem dando ênfase em atividades de toque de bola e finalizações. Será que, enfim, vem artilharia pesada aí?