O Brasil garantiu mais dois nomes importantes nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Neste sábado, Isaquias Queiroz, um dos principais atletas do esporte olímpico brasileiro, e Erlon Souza levaram o bronze no C2 1000 metros do Mundial de Canoagem e Paracanoagem, que está sendo realizado em Szeged, na Hungria, e, com isso, carimbaram a vaga olímpica. Já são 106 vagas confirmadas de atletas brasileiros em Tóquio.

A dupla superou o vento forte contra e conseguiu chegar na terceira posição, fechando o percurso com o tempo de 3min44s34. Emocionados, Isaquias e Erlon dedicaram a medalha a Jesus Morlán, técnico espanhol diretamente responsável pelo bom desempenho dos canoístas nos últimos anos e que faleceu em novembro de 2018 após batalhar contra um câncer no cérebro.

Superados pelos brasileiros nas semifinais, os cubanos Serguey Torres Madrigal e Fernando Dayan Jorge Enriquez ficaram com a prata ao terminar a prova em 3m41s46. O ouro foi para os chineses H. Liu e H. Wang, que lideraram desde o começo e venceram com o tempo de 3m40s55. O pódio da prova não teve um representante europeu pela primeira vez.

Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, os brasileiros não conseguiram ganhar essa mesma prova porque Erlon passou mal na disputa pelo ouro. No Mundial, os dois só não garantiriam vaga em Tóquio se terminassem em último lugar. Ainda neste sábado, Isaquias volta a competir. Ele disputa as semifinais do C1 1000 metros.

MAIS MEDALHA - O Brasil também teve bom desempenho na paracanoagem. Caio Ribeiro, que já havia sido prata no VL3, conquistou sua segunda medalha em Szeged. O brasileiro fechou a prova do KL3 200 metros com o tempo de 40s70 e levou o bronze. O russo Leonid Krylov foi prata (40s03) e o ouro foi conquistado pelo ucraniano Serhii Yamelianov (40s56).

O bronze de caio foi a quarta medalha brasileira no Mundial na Hungria. Além das duas de Caio, Luis Carlos Cardoso também subiu no pódio duas vezes. Foi ouro no VL2 200 metros e bronze no KL1 200 metros. Débora Benevides foi quarta colocada no VL2 200 metros e também garantiu vaga para o País nas Paralimpíadas de Tóquio.