A ida de Zezé Perrela, gestor de futebol do Cruzeiro, e Wágner Pires de Sá, presidente do clube, ao gabinete do prefeito Alexandre Kalil (PHS), na última terça-feira (29), foi um dos assuntos comentados pelo dono da cadeira mais importante da capital mineira durante visita à sede do Jornal Hoje em Dia, nesta quinta (31).

De acordo com Kalil, o desejo do clube celeste de não mais ser obrigado a pagar o ISS (Imposto Sobre Serviços) sobre as rendas dos jogos, apesar de ser uma solitação antiga, a qual ele mesmo encabeçou com o dirigente da Raposa,  não é tão simples de ser atendido. De acordo com o prefeito, Atlético e América deveriam se juntar ao Cruzeiro, principalmente por já terem sido notificados pelo Ministério Público.

"Era uma briga minha antiga. O Cruzeiro está liderando isso através do Zezé (Perrela),  e eu falei com ele: olha, traga o Atlético e o América para a mesa e vamos conversar dentro da lei. Não temos interesse de insentar ninguém de nada porque a prefeitura não pode abrir mão de receita. Mas é uma receita pequena para prefeitura e muito significativa para os clubes", comenta o prefeito.

"Se o Atlético e o América trouxerem proposta viável, a forma de projeto de lei, vamos estudar. Detalhe: América e Atlético já foram notificados pelo MP, o Cruzeiro ainda não. O Cruzeiro pulou na frente, mas já foram (Galo e Coelho) notificados", acrescenta.

Em entrevista a Rádio Itatiaia, concedida na última terça, Perrela explicou o motivo da visita e falou sobre a tentativa deste "acordo tributário".

"Essa luta de não se cobrar o ISS sobre a renda dos jogos é uma solicitação antiga, inclusiva uma briga antiga minha e do Kalil, enquanto ele era presidente do Atlético e eu era do Cruzeiro, porque Belo Horizonte é uma das poucas capitais do Brasil que cobram esse tipo de imposto. E isso não significa nada para a prefeitura e será uma grande ajuda aos clubes. Obviamente, ele vai estudar juridicamente o assunto para ver se tem como resolver", disse Perrela.

"Qualquer pretensão nossa que estiver fora da legalidade, não tem como fazer. Vamos conversar. Conversamos com o prefeito, vamos encaminhar uma reunião com o FUAD e convocar, também, o Atlético e o América para que se unam conosco nessa bandeira. O que se puder fazer, ainda que tenha que aproveitar uma Lei, o prefeito se colocou à disposição para nos ajudar. (...) Hoje em dia, se cobra ISS até sobre o sócio do clube, que usa a piscina, e sobre o sócio torcedor", finalizou.

O prefeito concedeu entrevista ao editor de Horizontes, Renato Fonseca, e ao repórter Paulo Henrique Lobato. Assista: