Quando Yuri Alberto estufou as redes aos 49 minutos do segundo tempo para o Internacional, parecia que o sonho do América estava se dissolvendo. Mas Lisca tratou de levantar o ânimo de sua equipe para a batalha das penalidades que viria a seguir. Deu certo! O Coelho venceu por 6 a 5 nos pênaltis, despachou o Colorado e segue fazendo história na Copa do Brasil. Pela primeira vez nas semifinais do torneio, o alviverde vai encarar o Palmeiras. No outro chaveamento, São Paulo e Grêmio medirão forças.

Infelizmente, o Internacional foi um péssimo perdedor. A luta do time em campo, no triunfo no tempo normal por 1 a 0 (mesmo placar da ida, só que a favor da equipe de Lisca), foi manchada pelo papelão ao fim da disputa por pênaltis. Os atletas do Colorado apelaram e partiram para cima dos jogadores do Coelho, dando início a uma confusão no Independência.

O que importa, porém, é a vitória na bola. Nas penalidades, Léo Passos, Messias, Sabino, Toscano, João Paulo e Juninho converteram para o América, enquanto Daniel Borges desperdiçou sua cobrança. Do lado gaúcho, Rodrigo Lindoso, Edenílson, Yuri Alberto, Rodinei e Praxedes marcaram, e Thiago Galhardo e Uendel perderam.

Os mineiros perderam sua invencibilidade na competição (agora são cinco triunfos, quatro empates e um revés), mas continua vivo e a quatro partidas do título. Sonho? Utopia? Nada disso. É América!

América

AMÉRICA 0 X 1 INTERNACIONAL

DATA: 18 de novembro de 2020
ESTÁDIO: Independência
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: Jogo de volta pelas quartas de final da Copa do Brasil
ARBITRAGEM: Vinicius Gonçalves Dias Araujo, auxiliado por Marcelo Carvalho Van Gasse e Neuza Ines Back, todos de São Paulo
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Cartões amarelos: Juninho e Felipe Azevedo (América); Cuesta (Internacional)
Gol: Yuri Alberto aos 49 minutos do segundo tempo

AMÉRICA
Matheus Cavichioli; Diego Ferreira, Messias, Anderson Jesus e João Paulo; Flávio (Sabino) e Juninho; Ademir (Daniel Borges), Geovane (Alê) e Felipe Azevedo (Toscano); Rodolfo (Léo Passos)
Técnico: Lisca

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Rodinei, Zé Gabriel, Víctor Cuesta e Moisés (Uendel); Rodrigo Dourado (Caio), Edenílson, Rodrigo Lindoso e D’Alessandro (Praxedes); Thiago Galhardo e Leandro Fernández (Yuri Alberto)
Técnico: Abel Braga