Cestinha da mais recente edição da Liga de Basquete Feminino (LBF), a ala Iziane vai receber mais uma chance na seleção brasileira. Nesta quinta-feira (18), a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) informou que a jogadora foi convidada a participar dos treinos da equipe que treina em Campinas, vai passar por avaliações da comissão técnica, e pode disputar a Copa América de agosto, no Canadá, valendo também como Pré-Olímpico.

Iziane parecia ter desperdiçado sua última chance na seleção brasileira quando foi cortada às vésperas dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, por indisciplina - ela levou o namorado para o quarto da concentração, na França. Por conta do corte, o técnico Luis Cláudio Tarallo levou um time desfalcado de uma atleta à Olimpíada.

Àquela época, Iziane só havia voltado à seleção porque convenceu a então diretora de seleções da CBB, Hortência, de que havia amadurecido desde que, no Pré-Olímpico de 2008, recusou-se a entrar em quadra durante uma partida. Ao desrespeitar o técnico Paulo Bassul, levou quatro anos para ter outra chance.

Agora é Luiz Zanon quem quer dar uma oportunidade para a ala, única jogadora da posição que pode fazer a diferença para o Brasil no Pré-Olímpico e na Olimpíada. "O convite é para ela ser avaliada nesse período de treinamento. Havíamos conversado no início do mês sobre essa possibilidade. Expliquei o plano de trabalho, ela gostou e se mostrou disposta em participar", contou Zanon

De acordo com o treinador, a jogadora do Maranhão Basquete (ela montou a equipe na sua terra natal) recebeu um planejamento para readquirir melhor condição física em São Luis antes de se apresentar à seleção no interior de São Paulo.

"Aqui em Campinas faremos uma avaliação física, técnica e pessoal para vermos as condições técnicas e a possibilidade de ela ser inserida no processo pré-olímpico. Meu objetivo é dar para a Iziane uma oportunidade que ela nunca teve desde que assumi o comando da equipe. Espero que ela corresponda a essa oportunidade."

Iziane não está nos planos para os Jogos Pan-Americanos de Toronto (Canadá), quando o treinador já não vai contar com Nádia, Erika, Clarissa e Damiris, que estão na WNBA, além da ala Tati, machucada.

Para a posição de Iziane, o treinador conta com as jovens Isabela Ramona (20 anos), Izabella Sangalli (20), Leila (24) e Patty (24), além de Jaqueline (29). Dessas, a que mais pontuou na LBF foi Jaqueline, com média de 13,4 pontos por jogo. Iziane teve média de 20,6. Das demais, só Leila (10,6) passou de 10.