Sabor Amargo

Jejum de títulos oficiais do Cruzeiro aumenta e é o maior desde a década de 1980

Hermano Chiodi
portal@hojeemdia.com.br
02/04/2022 às 18:40.
Atualizado em 02/04/2022 às 20:14
 (Fernando Michel)

(Fernando Michel)

A derrota para o Atlético na final do Campeonato Mineiro de 2022 ampliou o jejum de títulos que Cruzeiro vem enfrentando nos últimos anos. A última vez em que a equipe celeste levantou a taça de um campeonato foi em abril de 2019, na final do campeonato estadual, contra o Galo.

Desde 1984, o Cruzeiro não ficava tanto tempo sem comemorar um título. Naquele ano a equipe da Raposa comemorou o título do Campeonato Mineiro depois de sete anos desde a última celebração, que tinha acontecido no Estadual de 1977.

Depois daqueles títulos, o Cruzeiro chegou a vivenciar períodos de quase três anos sem conquistas, como entre setembro de 1984  e agosto de 1987 (Mineiro/Mineiro), agosto de 1987 e junho de 1990 (Mineiro/Mineiro) e novembro de 2014 e setembro de 2017 (Brasileiro/Copa do Brasil). Mas em momento algum das décadas de 1990, 2000 ou 2010 o Cruzeiro ficou mais de três anos sem ganhar um título.

Com a derrota para o Atlético, a equipe celeste só terá uma nova oportunidade de título no fim do ano, disputando a Série B do Campeonato Brasileiro ou na Copa do Brasil.

Ou seja, o jejum amargo do Cruzeiro irá durar, no mínimo, três anos e meio após seu último troféu, um recorde infeliz para a torcida que viu o time figurar entre as equipes mais vitoriosas das últimas décadas.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por