A grande passagem de quase dois anos de Enderson Moreira pelo América, entre 2016 e 2018, teve como ponto negativo o desempenho do seu time em clássicos. Em 11 confrontos contra Atlético e Cruzeiro, foram dez derrotas e um empate, aproveitamento de 3%. Esses jogos integram a incrível relação de 25 partidas contra os dois rivais sem que o Coelho vença, numa série iniciada em maio de 2016.

Os desempenhos ruins em clássicos de Enderson Moreira, treinador cruzeirense, e dos americanos, é o ponto principal do jogo que eles disputam neste sábado (29), às 19h, no Mineirão, pela 6ª rodada da Série B.

Arte

CLIQUE PARA AMPLIAR

O América iniciou seu jejum diante dos rivais em 8 de maio de 2016, quando empatou por 1 a 1 com o Atlético, no Mineirão, o jogo de volta da final do Estadual que conquistou sob o comando de Givanildo Oliveira.

Na partida seguinte, em 8 de setembro de 2016, pela Série A do Brasileirão, Enderson começa a viver o drama nos clássicos mineiros com o seu América sendo derrotado por 2 a 0 pelo Cruzeiro, no Independência.

No seu período no Lanna Drumond, foram duas eliminações em semifinais do Estadual para Cruzeiro (2017) e Atlético (2018) e três goleadas para o Galo.

Sem efeito

Na parada do futebol brasileiro para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, Enderson Moreira deixou o América para treinar o Bahia. Desde então, o Coelho disputou 13 clássicos contra cruzeirenses e atleticanos, e seguiu sem vencer.

O atual treinador, Lisca, comandou o time nos últimos quatro jogos, todos pelo Campeonato Mineiro de 2020.

Na fase classificatória, empatou por 1 a 1 com o Cruzeiro, no Mineirão, e com o Atlético, no Independência, na volta do futebol após o longo período sem a bola rolar por causa da pandemia pelo novo coronavírus.

Os dois últimos confrontos foram pelas semifinais do Estadual, e o Galo ganhou ambos, fazendo 2 a 1, no Mineirão, e 3 a 0, no Independência.

Objetivos

Neste sábado, a quebra do jejum tem significados diferentes para Enderson Moreira e o América, no que se refere à Série B.

O Cruzeiro, que é 11º colocado, tenta se distanciar da zona de rebaixamento, aberta pelo Brasil-RS com apenas um ponto a menos.

O sétimo América sonha é com o G-4, fechado pelo Operário-PR com apenas um ponto a mais.

O empate mantém os dois jejuns, e não só por isso terá sabor de derrota para Raposa e Coelho.