O que foi marcado em 30 de julho de 1976, no Estádio Nacional, em Santiago, e valeu o título da Copa Libertadores daquele ano, numa decisão contra o River Plate, da Argentina, é sem dúvida o mais importante e famoso gol de Joãozinho pelo Cruzeiro. Mas o Bailarino da Toca presenteou a torcida com muitos outros. Foram 118 no total. Alguns deles, verdadeiras obras de arte que ainda estão na cabeça de quem viu. E um deles aconteceu há exatamente 40 anos.

Em 6 de abril de 1980, o Cruzeiro recebeu o Fluminense, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro, num ano difícil para os dois clubes, pois seus rivais brilharam na competição, que foi decidida por Atlético e Flamengo, que foi o campeão.

Joãozinho ex-jogador Cruzeiro

Joãozinho foi um dos grandes nomes do Cruzeiro nos anos 1970 e 1980, quando levou os marcadores ao desespero com seus dribles desconcertantes

Isso não impediu celestes e tricolores de fazerem um grande duelo naquela tarde de início de outono pela primeira rodada do Grupo H da segunda fase da competição nacional. E o jogo, que teve grandes jogadores em campo pelos dois lados, ficou marcado mesmo foi pela pintura de Joãozinho, que definiu a partida aos 44 minutos do segundo tempo.

O jogo

O Cruzeiro saiu na frente logo aos seis minutos, num chute de fora da área do volante Nélio, que contou com falha do goleiro tricolor Paulo Goulart. O Fluminense empatou logo depois, aos 12, com Cristóvão Borges, hoje treinador.

Na segunda etapa, o centroavante Luiz Carlos fez 2 a 1 para a Raposa aos 28 minutos, após receber passe de Joãozinho, entrar pela área e chutar rasteiro, no canto direito de Paulo Goulart.

Os dois times eram as principais forças do Grupo H, que contava ainda com Sport e Botafogo-PB. Só os dois primeiros da chave seguiam no torneio.
A desvantagem fez o Fluminense partir para o sufoco. Mas o time carioca, que era dirigido por Zagallo, deixou espaços. E aos 44 minutos, um chutão da virou lançamento para Joãozinho, que partiu do seu próprio campo.

O camisa 11 celeste deu um drible no adversário já dentro da área, deixou o goleiro Paulo Goulart estirado no gramado com mais uma finta, e ainda deslocou o marcador que tinha corrido para a linha do gol.

A partida estava decidida e a tarefa de escolher o Gol do Fantástico, quadro que o programa dominical tinha, facilitada. A obra de arte de Joãozinho reinou naquele 6 de abril de 1980.

A FICHA DO JOGO

CRUZEIRO 3
Luiz Antônio; Nelinho, Zezinho Figueroa, Bianque e Luiz Cosme; Nélio, Erivelto (Zé Carlos) e Alexandre; Jarbas (Tião), Luiz Carlos e Joãozinho. Técnico: Ílton Chaves
FLUMINENSE 1
Paulo Goulart; Marinho, Tadeu, Edinho e Chico Fraga; Givanildo, Cristóvão e Mário; Osni, Robertinho e Zezé. Técnico: Zagallo.
DATA: 6 de abril de 1980
LOCAL: Mineirão
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: 1ª rodada da segunda fase do Campeonato Brasileiro
GOLS: Nélio, aos 6, e Cristóvão, aos 12 minutos do primeiro tempo; Luiz Carlos, aos 28, e Joãozinho, aos 44 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Oscar Scolfaro, auxiliado por Aluisio Agostinho e José Novais
CARTÃO AMARELO: Zé Carlos (Cruzeiro)
PÚBLICO: 24.207
RENDA: Cr$ 1.587.810,00