O meio-campista turco Mansur Calar, do Amed SFK, clube da terceira divisão da Turquia, foi banido para sempre do futebol, em decisão anunciada na terça-feira (5) pela Federação Turca de Futebol (TFF, na sigla em turco), após julgar a denúncia de que o jogador era acusado de ferir quatro outros atletas com um "objeto pontudo", supostamente uma lâmina, durante um jogo do campeonato nacional no último sábado.

Os quatro jogadores que acusaram Mansur Calar são do Sakaryaspor e o fato aconteceu na partida realizada na cidade de Diyarbakir, que terminou empatada por 1 a 1. Os atletas precisaram ser levados a um hospital por causa dos ferimentos.

Nesta quinta-feira (7), Mansur Calar, de 33 anos, foi condenado a uma suspensão de quatro anos, mas segundo o Código Disciplinar da Turquia, uma pena superior a três anos traduz-se automaticamente em um banimento para o resto da vida. Além disso, o jogador vai ter de pagar uma multa de cerca de 4 mil euros (R$ 17,4 mil) e o seu clube vai ter de realizar um jogo com portões fechados.

Antes do julgamento, um tribunal já havia imposto uma proibição de viagem a Mansur Calar enquanto aguardava o resultado da investigação. Mas o Amed SFK negou as acusações, acusando os jogadores da equipe rival de realizar a denúncia para causar "tensões e inimizade".

O clube, cuja base de torcedores é em grande parte curda, frequentemente enfrenta hostilidade em jogos fora de casa, especialmente em regiões onde os sentimentos nacionalistas turcos são elevados.

Leia mais:
Investigado por atacar rivais com lâmina na Turquia, jogador é proibido de viajar