Uma das vozes mais esclarecidas entre os jogadores brasileiros, Kaká adotou tom precavido ao falar do Bom Senso FC, iniciativa dos jogadores para estimular mudanças no futebol do País. Ao ser questionado sobre uma eventual adesão ao movimento, o meia elogiou os jogadores, mas, por ora, não parece disposto a fazer parte.

"Me reuni duas vezes com o Bom Senso, queria saber o que eles estavam fazendo. Meu apoio é mais difuso em relação ao que for benéfico ao futebol brasileiro. Esse é meu apoio, não tão individualizado. É um momento importante e é legal esse debate, essas críticas construtivas e ideias de jogadores, ex-jogadores, vocês (jornalistas) também para que o futebol volte a ser desenvolvido", disse o meia são-paulino.

À primeira vista, as declarações indicam um afastamento do jogador à iniciativa, mas amigos de Kaká afirmam que ele não quer se associar a ninguém enquanto não estiver plenamente informado sobre como as coisas transcorrerão. Se concordar com os pilares, pode ser mais incisivo no apoio.

Apesar de não se vincular ao Bom Senso FC, Kaká não deixou de criticar a estrutura do esporte no País e lembrou que o futebol brasileiro está muito atrasado em diversos pontos se comparado às principais ligas do mundo.

"O futebol brasileiro precisa ser melhor organizado e planejado, isso sem dúvida nenhuma. Coisas como melhorar o calendário, o processo de gestão, o profissionalismo nas relações, uma série de coisas".