A confusão entre Arrascaeta, o empresário Daniel Fonseca e o Cruzeiro ganha novos capítulos a cada dia. Enquanto o camisa 10 não dá as caras na Toca II, onde deveria ter se apresentado no dia 3 de janeiro, mas ainda não apareceu, outros jogadores tentam encontrar explicações com o próprio meia-atacante, que no momento está incomunicável.

Em entrevista coletiva no centro de treinamento celeste, o zagueiro Léo, um dos jogadores mais respeitados e experientes do elenco, admitiu que fez tentativas de contato com Arrascaeta. Mas o uruguaio não respondeu aos chamados.

“Eu até tentei entrar em contato. Provavelmente outros jogadores também tentaram. Provavelmente deve estar isolado (Arrascaeta), não tivemos resposta. É uma situação que acaba gerando várias polêmicas, várias questões, que a gente está vendo. É um jogador que a gente considera de muita qualidade, parceiro de todo mundo. Tem um histórico muito bom aqui, é um grande jogador, uma grande pessoa, mas a gente espera que essas coisas se definam nos próximos dias”, disse Léo.

Todo “o barulho e conflito” envolvendo Arrascaeta e o Cruzeiro acontece pela negativa do clube a uma proposta do Flamengo. No clube carioca o camisa 10, segundo dito pelo próprio vice-presidente de futebol cruzeirense, Itair Machado, receberia três vezes mais. O atual salário do gringo em Minas Gerais gira em torno de R$ 500 mil.

“Todos nós jogadores torcemos para que ele possa ficar aqui no Cruzeiro para nos ajudar e fazer os gols decisivos, como sempre fez. Talvez ele esteja pensando muito neste momento, a gente não sabe, mas a gente espera que ele possa decidir o melhor para ele como jogador e como pessoa, e que o melhor dele possa ser com a gente”, afirmou Léo.

O Cruzeiro mandou o empresário André Cury, que tem uma carta que o autoriza negociar Arrascaeta para clubes da Europa, como representante ao Uruguai, onde Arrascaeta está desde o fim de semana. O CEO do Flamengo, Bruno Spindel, também se encontra no país vizinho e uma conversa está programada para quarta-feira. A intenção é resolver de vez todo o imbróglio.

O Cruzeiro até admite vender o jogador, desde que receba “limpos” 10 milhões de euros, além do abatimento da dívida que tem com o Defensor, clube que revelou Arrascasta, e o Atlas, agremiação que cedeu à Raposa o atacante Latorre, contrapeso para a contratação do camisa 10, em 2015.

O zagueiro Léo disse que se Arrascaeta voltar será bem recebido por todos. “Em relação ao vestiário, ao elenco, não tem nenhum problema. A gente gosta do Arrascaeta, todos os jogadores tratam ele muito bem. Ele é muito bem recebido pelos funcionários daqui. Todo mundo conhece ele muito bem, é muito querido aqui dentro. Quanto aos jogadores, não tem problema nenhum. Se ele resolver ficar no Cruzeiro, vai ser bem tratado e vai nos ajudar bastante. Vai ser bem recebido e, com certeza, vai agir naturalmente, como sempre agiu”, garantiu.